Câmara de Timon põe o projeto da LOA em votação e texto não é aprovado pelos parlamentares

spot_img
Compartilhe:

Para ser aprovado o projeto necessitava de no mínimo 14 votos dos parlamentares, mas obteve somente 11.

A Câmara Municipal de Timon realizou votação na manhã desta segunda-feira, 22 de novembro, onde apreciou a peça orçamentária elaborada e enviada pelo poder Executivo Municipal para o poder Legislativo, referente ao ano de 2022. A LOA, Lei de Diretrizes Orçamentárias, contém as estimativas de receitas e as previsões de despesas do município de Timon para o próximo ano fiscal. Para ser aprovado o projeto necessitava de no mínimo 14 votos dos parlamentares, mas obteve somente 11, todos eles dos vereadores que compõe a base de apoio do governo municipal na Casa.

A votação desta segunda-feira, 22, encerra um imbróglio que dura desde o dia 20 de outubro, quando o presidente da Casa, vereador Uilma Resende convocou a sessão extraordinária Nº 315 para apreciar e votar o projeto da LOA, mas logo a sessão foi esvaziada pelos vereadores da base governista, o que obrigou o presidente a realizar sua suspensão por falta de quórum.

“Nós da oposição alertamos para diversas incongruências presentes no texto da LOA, como a retirada de vultosos recursos de secretarias importantíssimas para o desenvolvimento do nosso município como as secretarias de infraestrutura, quase R$ 7 milhões, além de retiradas da secretaria de desenvolvimento rural, da secretaria de esportes, entre outras. Essas incongruências presentes no texto apresentado pelo poder executivo fizeram com que os vereadores da oposição não concordassem com a peça orçamentária que foi apresentada”, explicou o presidente Uilma Resende.

A sessão extraordinária Nº 315 precisou ser aberta mais oito vezes ao longo do último mês e somente hoje, obteve o quórum necessário para que fosse realizada com a votação da LOA.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Três dicas para evitar o estresse na hora de encarar o trânsito

Por Elainy Castro Buzinas, xingamentos, motoristas imprudentes, muita gente nos horários de pico, pedestres que atravessam fora da faixa, acidentes… isso e muito mais você...

Em prestigiada reunião, Cláudia Coutinho diz que será deputada para ajudar Timon e o Maranhão

Em prestigiadíssima reunião política, ontem no Mabelu Buffett, em Timon patrocinada pelo vereador Helber Guimarães e seu grupo de apoiadores e aliados na cidade,...

Equatorial Maranhão divulga o Plano Operacional para as Eleições 2022

O plano mobiliza mais de 1.300 profissionais e traz as ações estruturadas para máxima continuidade do fornecimento de energia no dia das eleições. A Equatorial...

Para ser aprovado o projeto necessitava de no mínimo 14 votos dos parlamentares, mas obteve somente 11.

A Câmara Municipal de Timon realizou votação na manhã desta segunda-feira, 22 de novembro, onde apreciou a peça orçamentária elaborada e enviada pelo poder Executivo Municipal para o poder Legislativo, referente ao ano de 2022. A LOA, Lei de Diretrizes Orçamentárias, contém as estimativas de receitas e as previsões de despesas do município de Timon para o próximo ano fiscal. Para ser aprovado o projeto necessitava de no mínimo 14 votos dos parlamentares, mas obteve somente 11, todos eles dos vereadores que compõe a base de apoio do governo municipal na Casa. A votação desta segunda-feira, 22, encerra um imbróglio que dura desde o dia 20 de outubro, quando o presidente da Casa, vereador Uilma Resende convocou a sessão extraordinária Nº 315 para apreciar e votar o projeto da LOA, mas logo a sessão foi esvaziada pelos vereadores da base governista, o que obrigou o presidente a realizar sua suspensão por falta de quórum. “Nós da oposição alertamos para diversas incongruências presentes no texto da LOA, como a retirada de vultosos recursos de secretarias importantíssimas para o desenvolvimento do nosso município como as secretarias de infraestrutura, quase R$ 7 milhões, além de retiradas da secretaria de desenvolvimento rural, da secretaria de esportes, entre outras. Essas incongruências presentes no texto apresentado pelo poder executivo fizeram com que os vereadores da oposição não concordassem com a peça orçamentária que foi apresentada”, explicou o presidente Uilma Resende. A sessão extraordinária Nº 315 precisou ser aberta mais oito vezes ao longo do último mês e somente hoje, obteve o quórum necessário para que fosse realizada com a votação da LOA.