Formato do Corso com palcos na avenida é aprovado por 84,9% dos foliões

spot_img
Compartilhe:

O Corso de Teresina deste ano testou novo formato e contou com seis palcos temáticos distribuídos em vários pontos da Avenida Raul Lopes, na zona Leste da capital. O que pode ter gerado estranhamento quando anunciado, na verdade teve aprovação de 84,9% dos foliões que participaram da festa. É o que revela pesquisa recente apresentada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec).

De acordo com dados da pesquisa, a festa contou com avaliações como “ótimo” e “bom”, em vários quesitos. Além da aprovação no novo formato apresentado pela Fundação Municipal Monsenhor Chaves (FMC), por exemplo, 87,8% dos foliões aprovaram também a animação da festa e 82,7% aprovaram a organização geral.

“Este ano foi muito importante para a organização da Prefeitura com relação ao Carnaval. A pesquisa revelou esse dado importante, que é a aprovação, a aceitação do público nesse formato com palcos, mas sem perder a essência da festa. De forma geral, as novas ideias foram muito acertadas, uma vez que o incentivo aos blocos carnavalescos também tiveram aprovação da população”, comenta o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso.

Em 2020 a Prefeitura de Teresina traçou sua organização com o objetivo de reacender a vontade do teresinense em ficar no período anterior e durante o carnaval na cidade.  O Corso foi a primeira ação. A festa teve palcos temáticos com músicas carnavalescas, axé, samba e pagode, música eletrônica com DJ, mix com todos os gêneros e rock. O novo formato foi uma decisão foi baseado em uma avaliação realizada pela gerência de produção cultural da FMC e também pelo prefeito Firmino Filho.

No Carnaval, blocos tradicionais e novos blocos também contaram com o apoio da Prefeitura. O carnaval de rua teve oficialmente 25 blocos. As agremiações foram escolhidas através de edital público e o resultado foi divulgado no fim de janeiro passado. Além disso, de acordo com a FMC o valor gasto com Corso e Carnaval somados é o mesmo gasto quando Teresina apoiava somente o desfile das escolas de samba.

Turistas

A pesquisa da Semdec ainda revela que o número de turistas em Teresina durante o período do Corso registrou aumento em 2020. Em 2019, o fluxo de turistas na avenida era de 9,3%, número que saltou para 15,1% este ano, representando um crescimento de 62,4% de participantes vindos de outras cidades.

Os dados mostram que mais de 13 mil pessoas vieram à capital exclusivamente para participar do Corso e revelam ainda que estes turistas resolveram gastar mais em Teresina em função da festa. Em 2019, os visitantes gastaram R$ 147,24 em média, enquanto em 2020 o gasto saltou para R$ 249,82. Isso significa que somente os turistas geraram uma receita de R$ 5,3 milhões no total.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

Aulas na Rede Estadual iniciam nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão

Nesta segunda-feira (6), estudantes da Rede Estadual nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão retornaram às salas de aula. Para fortalecer as estratégias...

Projeto de Lei do deputado Rafael assegura acesso a medicamentos à base de canabidiol e similares

O Projeto de Lei 01/2023, de autoria do deputado Rafael, assegura o acesso a medicamentos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) “às...
O Corso de Teresina deste ano testou novo formato e contou com seis palcos temáticos distribuídos em vários pontos da Avenida Raul Lopes, na zona Leste da capital. O que pode ter gerado estranhamento quando anunciado, na verdade teve aprovação de 84,9% dos foliões que participaram da festa. É o que revela pesquisa recente apresentada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec). De acordo com dados da pesquisa, a festa contou com avaliações como “ótimo” e “bom”, em vários quesitos. Além da aprovação no novo formato apresentado pela Fundação Municipal Monsenhor Chaves (FMC), por exemplo, 87,8% dos foliões aprovaram também a animação da festa e 82,7% aprovaram a organização geral. “Este ano foi muito importante para a organização da Prefeitura com relação ao Carnaval. A pesquisa revelou esse dado importante, que é a aprovação, a aceitação do público nesse formato com palcos, mas sem perder a essência da festa. De forma geral, as novas ideias foram muito acertadas, uma vez que o incentivo aos blocos carnavalescos também tiveram aprovação da população”, comenta o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso. Em 2020 a Prefeitura de Teresina traçou sua organização com o objetivo de reacender a vontade do teresinense em ficar no período anterior e durante o carnaval na cidade.  O Corso foi a primeira ação. A festa teve palcos temáticos com músicas carnavalescas, axé, samba e pagode, música eletrônica com DJ, mix com todos os gêneros e rock. O novo formato foi uma decisão foi baseado em uma avaliação realizada pela gerência de produção cultural da FMC e também pelo prefeito Firmino Filho. No Carnaval, blocos tradicionais e novos blocos também contaram com o apoio da Prefeitura. O carnaval de rua teve oficialmente 25 blocos. As agremiações foram escolhidas através de edital público e o resultado foi divulgado no fim de janeiro passado. Além disso, de acordo com a FMC o valor gasto com Corso e Carnaval somados é o mesmo gasto quando Teresina apoiava somente o desfile das escolas de samba. Turistas A pesquisa da Semdec ainda revela que o número de turistas em Teresina durante o período do Corso registrou aumento em 2020. Em 2019, o fluxo de turistas na avenida era de 9,3%, número que saltou para 15,1% este ano, representando um crescimento de 62,4% de participantes vindos de outras cidades. Os dados mostram que mais de 13 mil pessoas vieram à capital exclusivamente para participar do Corso e revelam ainda que estes turistas resolveram gastar mais em Teresina em função da festa. Em 2019, os visitantes gastaram R$ 147,24 em média, enquanto em 2020 o gasto saltou para R$ 249,82. Isso significa que somente os turistas geraram uma receita de R$ 5,3 milhões no total.