spot_img
spot_img

Oleaginosas: os benefícios das nuts

spot_img
Compartilhe:
Prático e versátil, esse grupo de alimentos também ajuda a prevenir doenças

Por Elainy Castro

Oleaginosas: é bem provável que você já tenha ouvido falar desse nome aliado à alimentação saudável e nutritiva. Esse grupo de alimentos, caracterizado pela alta concentração de óleos vegetais e gorduras saudáveis, inclui uma variedade de sementes e frutos secos, como amêndoas, castanhas, nozes e pistaches, entre outros.

Além de serem fontes ricas em ácidos graxos essenciais, como ômega-3 e ômega-6, as oleaginosas oferecem uma gama de nutrientes importantes, tais como proteínas, fibras, vitaminas e minerais. Mas os benefícios desse grupo alimentar não param por aí. A nutricionista do Grupo Mateus, Ingrid Aguiar, explica que esses grãos e sementes são ricos em gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas, fibras, lipídios e repletos de nutrientes que auxiliam na diminuição do estresse, melhora da digestão, redução do colesterol ruim, excelente fonte de proteína vegetal, além de ajudar na prevenção contra o câncer.

“As oleaginosas são muito nutritivas, principalmente por serem fontes de vitamina E, potássio e proteína, apresentando uma quantidade maior de antioxidantes”, explica.

Ingrid ressalta, ainda, que as oleaginosas auxiliam na prevenção do envelhecimento precoce das células e no fortalecimento do sistema imunológico. “Contendo minerais como magnésio, selênio e fósforo, as oleaginosas são essenciais para a saúde dos ossos e fontes de energia para o corpo”, acrescenta. Quando associados a uma dieta equilibrada, esses alimentos ajudam na prevenção de diversas doenças como diabetes, câncer, além de problemas no coração, sintomas de artrite e reumatismo, regulando o intestino e reduzindo, também, os níveis de gordura no sangue.

A nutricionista orienta que o consumo de oleaginosas seja associado a uma alimentação balanceada. Como são alimentos muito versáteis, podem ser ingeridos in natura, com iogurtes, acrescentados em saladas e outros pratos nas refeições. Mas faz uma ressalva: “É importante ressaltar que pessoas que possuem doenças como diabetes ou problemas cardiovasculares sejam orientados por um profissional da área de nutrição, que vai avaliar a quantidade adequada para consumo em cada caso”, finaliza.

Compartilhe:
spot_img

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Barras de proteína: quando posso comer e para que servem?

Por Juliana Castelo Práticas, fáceis de carregar na bolsa para qualquer lugar e saborosas! As barras de proteína são opções rápidas para repor os nutrientes...

Equatorial Maranhão alerta para a prevenção de acidentes com energia elétrica por causa dos alagamentos e enchentes

As fortes chuvas estão causando consequências em vários municípios maranhenses. De acordo com informações da Defesa Civil do Maranhão, 15 municípios já decretaram situação...

Uilma Resende sai em defesa dos farmacistas de Timon contra multas absurdas do Conselho

https://youtu.be/iFpOEXb2kds O vereador Uilma Resende denunciou ontem, 10, da tribuna da Câmara de Timon o que ele chamou de concorrência predatória dos grandes grupos farmacistas...