spot_img
spot_img

Silêncio em sala de aula

spot_img
Compartilhe:

Pelo menos dois milhões de crianças e adolescentes brasileiros estão fora da escola

Por Juliana Castelo

Desde problemas para acompanhar os conteúdos até a necessidade de trabalhar cedo: o abandono escolar foi registrado em pesquisa feita pelo Ipec, a pedido do Unicef em 2022, revelando que 11% de crianças e adolescentes brasileiros deixaram a sala de aula. Ou seja, dois milhões de meninos e meninas perderam a chance de aprender, comprometendo oportunidades na vida adulta. E o último Censo 2023 mostra, ainda, que 68 milhões de brasileiros acima de 18 anos não concluíram a educação básica. Afinal, como virar essa página?

De acordo com a professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Estácio São Luís, Célia Cunha, é preciso ter atenção aos vários fatores que levam tantos jovens a se afastar do ambiente escolar. “Algumas motivações para essa realidade que devemos observar e ajudar a enfrentar são a falta de suporte dos pais, situações financeiras difíceis que levam os alunos a trabalhar em tempo integral, problemas de saúde mental, bullying e as dificuldades de aprendizado não diagnosticadas”, explica.

O problema também pode estar dentro da escola, segundo a especialista, quando não existe engajamento dos alunos com o currículo, problemas de disciplina ou até mesmo a qualidade do ensino oferecido. “É fundamental implementar estratégias que abordem esses fatores de forma completa”, ressalta Célia. E por que não pensar em igualdade e inclusão?

A professora acredita que somente com esforços de toda a comunidade com professores, funcionários da escola e os pais e responsáveis, é possível acolher tantos meninos e meninas que não estão estudando.

“Programas de mentoria para alunos em situação de risco, envolvimento ativo dos pais na vida escolar dos filhos, identificação precoce de problemas de aprendizado e saúde mental, criação de um ambiente escolar acolhedor e inclusivo, apoio psicológico e emocional aos alunos, além de programas extracurriculares que possam aumentar o engajamento dos estudantes são essenciais para essa mudança acontecer”, finalizou a pedagoga.

Compartilhe:
spot_img

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Barras de proteína: quando posso comer e para que servem?

Por Juliana Castelo Práticas, fáceis de carregar na bolsa para qualquer lugar e saborosas! As barras de proteína são opções rápidas para repor os nutrientes...

Equatorial Maranhão alerta para a prevenção de acidentes com energia elétrica por causa dos alagamentos e enchentes

As fortes chuvas estão causando consequências em vários municípios maranhenses. De acordo com informações da Defesa Civil do Maranhão, 15 municípios já decretaram situação...

Uilma Resende sai em defesa dos farmacistas de Timon contra multas absurdas do Conselho

https://youtu.be/iFpOEXb2kds O vereador Uilma Resende denunciou ontem, 10, da tribuna da Câmara de Timon o que ele chamou de concorrência predatória dos grandes grupos farmacistas...