Miss Brasil pode não acontecer este ano, entenda…

spot_img
Compartilhe:

paulina-vega-miss-universo  O concurso Miss Brasil 2015, marcado para amanhã, quarta-feira (18), no Citibank Hall, em São Paulo, corre o risco de não acontecer. Camila Dias Mol, Cintya Leite Santos, Katiuscia Oliveira Menezes, Jane Kelly Santos Lima, Eldine Quintela Guimarães e Claudiane Lima Costa, entraram nesta terça-feira (17) com uma ação na Justiça com pedido de concessão de medida liminar com a finalidade de suspender a realização do concurso Miss Brasil 2015, de acordo com a petição, face a “graves violações ocorridas nos dois concursos ocorridos no Miss Sergipe 2015”. Ação protocolada no Fórum Gumersindo Bessa, em Sergipe.

Como a coluna informou em 28 de abril, o concurso, realizado sábado (25) no Teatro Tobias Barreto, em Aracaju, e que teve como vencedora Isabelle Mitidieri, terminou da pior maneira possível. Muitas irregularidades foram apontadas, desde participação de menores à tentativa de extorsão.

A bagunça, ao final, se instalou a tal ponto, que o organizador teve que deixar o local às pressas. Ele se viu obrigado a sair do palco correndo, escoltado por dois seguranças, e pela miss vencedora. Na ocasião, foi revelado que o organizador Deivide Barbosa foi acusado de pedir R$ 10 mil para garantir a vitória da candidata Camila Dias Mol, escolhida em segundo lugar.

Depois da matéria publicada pela coluna, o Grupo Bandeirantes, responsável pela organização do Miss Brasil, se pronunciou sobre as inúmeras denúncias de marmelada no Miss Sergipe e cancelou o resultado, prometendo a realização de um novo concurso, o que de fato ocorreu.

No comunicado, a Band declarou que o coordenador do concurso, Deivide Emanoel Silva Barbosa, foi descredenciado por ter descumprido o contrato firmado, descumprindo também as normas estipuladas no Manual do Licenciado e, ainda, desrespeitado os requisitos éticos e morais para a organização do concurso. Informou também que o primeiro concurso Miss Sergipe, realizado dia 25 de abril, foi desconsiderado como oficial, resultando assim na invalidação do resultado, bem como na desconsideração da candidata eleita na ocasião ao posto de Miss Sergipe 2015. Depois dessa confusão toda, Pryscila Felisberto foi eleita, em junho, a nova Miss Sergipe.

A Bandeirantes, consultada, disse não ter ciência da ação.

 

Edição: Veja Timon

Via: Flávio Ricco

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Três dicas para evitar o estresse na hora de encarar o trânsito

Por Elainy Castro Buzinas, xingamentos, motoristas imprudentes, muita gente nos horários de pico, pedestres que atravessam fora da faixa, acidentes… isso e muito mais você...

Em prestigiada reunião, Cláudia Coutinho diz que será deputada para ajudar Timon e o Maranhão

Em prestigiadíssima reunião política, ontem no Mabelu Buffett, em Timon patrocinada pelo vereador Helber Guimarães e seu grupo de apoiadores e aliados na cidade,...

Equatorial Maranhão divulga o Plano Operacional para as Eleições 2022

O plano mobiliza mais de 1.300 profissionais e traz as ações estruturadas para máxima continuidade do fornecimento de energia no dia das eleições. A Equatorial...
paulina-vega-miss-universo  O concurso Miss Brasil 2015, marcado para amanhã, quarta-feira (18), no Citibank Hall, em São Paulo, corre o risco de não acontecer. Camila Dias Mol, Cintya Leite Santos, Katiuscia Oliveira Menezes, Jane Kelly Santos Lima, Eldine Quintela Guimarães e Claudiane Lima Costa, entraram nesta terça-feira (17) com uma ação na Justiça com pedido de concessão de medida liminar com a finalidade de suspender a realização do concurso Miss Brasil 2015, de acordo com a petição, face a "graves violações ocorridas nos dois concursos ocorridos no Miss Sergipe 2015". Ação protocolada no Fórum Gumersindo Bessa, em Sergipe. Como a coluna informou em 28 de abril, o concurso, realizado sábado (25) no Teatro Tobias Barreto, em Aracaju, e que teve como vencedora Isabelle Mitidieri, terminou da pior maneira possível. Muitas irregularidades foram apontadas, desde participação de menores à tentativa de extorsão. A bagunça, ao final, se instalou a tal ponto, que o organizador teve que deixar o local às pressas. Ele se viu obrigado a sair do palco correndo, escoltado por dois seguranças, e pela miss vencedora. Na ocasião, foi revelado que o organizador Deivide Barbosa foi acusado de pedir R$ 10 mil para garantir a vitória da candidata Camila Dias Mol, escolhida em segundo lugar. Depois da matéria publicada pela coluna, o Grupo Bandeirantes, responsável pela organização do Miss Brasil, se pronunciou sobre as inúmeras denúncias de marmelada no Miss Sergipe e cancelou o resultado, prometendo a realização de um novo concurso, o que de fato ocorreu. No comunicado, a Band declarou que o coordenador do concurso, Deivide Emanoel Silva Barbosa, foi descredenciado por ter descumprido o contrato firmado, descumprindo também as normas estipuladas no Manual do Licenciado e, ainda, desrespeitado os requisitos éticos e morais para a organização do concurso. Informou também que o primeiro concurso Miss Sergipe, realizado dia 25 de abril, foi desconsiderado como oficial, resultando assim na invalidação do resultado, bem como na desconsideração da candidata eleita na ocasião ao posto de Miss Sergipe 2015. Depois dessa confusão toda, Pryscila Felisberto foi eleita, em junho, a nova Miss Sergipe. A Bandeirantes, consultada, disse não ter ciência da ação.   Edição: Veja Timon Via: Flávio Ricco