lançado editais para incentivar projetos culturais em municípios

spot_img
Compartilhe:

cultura-leberta  O Ministério da Cultura lançou hoje no Rio de Janeiro, quatro editais com investimento de R$ 15 milhões, que selecionarão projetos culturais inscritos por prefeituras ou órgãos municipais da administração direta ou indireta, que acompanham as diretrizes do Plano de Trabalho Anual do Fundo Nacional da Cultura. O lançamento ocorreu durante o Fórum Permanente de Gestores Públicos de Cultura da Baixada Fluminense, na Câmara Municipal de São João de Meriti.

As inscrições poderão ser feitas entre 17 de agosto e 30 de setembro de 2015. Os projetos deverão ter período de execução de até 24 meses. Os municípios interessados terão de estar com os acordos federativos de cooperação em dia e com os sistemas municipais de Cultura instituídos por leis próprias publicadas. Segundo o MinC, a aprovação pela Câmara Municipal e a publicação no Diário Oficial do Município, neste caso, tem de ocorrer até o início do convênio assinado com o ministério.

O lançamento dos editais do MinC, por meio de suas secretarias de Articulação Institucional (SAI), do Audiovisual (SAv) e da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), da Fundação Cultural Palmares (FCP) e da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), fez parte das atividades da Caravana da Cultura na Baixada Fluminense, realizadas hoje pelo ministério na região.

Para o ministério, foi a maior caravana já realizada. Além do ministro Juca Ferreira, o evento teve participação dos secretários de Articulação Institucional, Vinicius Wu; da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ivana Bentes; de Fomento e Incentivo à Cultura, Carlos Paiva; e do Audiovisual, Pola Ribeiro.

“Toda vez que a caravana passa por um lugar, a relação fica mais estreita. O ministério entende mais quais são as demandas, as necessidades e os produtores conhecem os canais de diálogo com o governo”, explicou o ministro.

Para a secretária Ivana Bentes, os editais são indutores de políticas de cultura. “É importante que o governo federal esteja fazendo isso, porque as secretarias municipais também virão. É decisivo que se tenha uma produção de cultura territorial e que possa circular e ser consumida no local.”

Segundo ela, é relevante que a arrecadação de recursos no município fique na própria cidade e parte dela retorne para a cultura. “A cultura é tão importante quanto saúde e educação. É importante que os governos federal, estaduais e municipais coloquem a cultura na centralidade do desenvolvimento. A cultura é uma propulsora de cidadania”, acrescentou Ivana Bentes.

 

Edição: Veja Timon

Via: EBC

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Josimar do Maranhãozinho faz investida ao casal Assis e Janaína Ramos

A conversa proveitosa entre os três beneficia o suplente de deputado Henrique Junior em seu projeto de ser o próximo prefeito de Timon Um encontro...

Governo do Maranhão disponibiliza testagem da Covid-19 para moradores da Capital

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), disponibilizou o serviço de testagem para diagnóstico da Covid-19 à população...

Bronquite, laringite, sinusite? Pode ser adenovírus

Família de mais de 60 tipos de vírus costuma afetar crianças no final do ano; saiba como prevenir e tratar Por Elainy Castro Com a temporada...
cultura-leberta  O Ministério da Cultura lançou hoje no Rio de Janeiro, quatro editais com investimento de R$ 15 milhões, que selecionarão projetos culturais inscritos por prefeituras ou órgãos municipais da administração direta ou indireta, que acompanham as diretrizes do Plano de Trabalho Anual do Fundo Nacional da Cultura. O lançamento ocorreu durante o Fórum Permanente de Gestores Públicos de Cultura da Baixada Fluminense, na Câmara Municipal de São João de Meriti. As inscrições poderão ser feitas entre 17 de agosto e 30 de setembro de 2015. Os projetos deverão ter período de execução de até 24 meses. Os municípios interessados terão de estar com os acordos federativos de cooperação em dia e com os sistemas municipais de Cultura instituídos por leis próprias publicadas. Segundo o MinC, a aprovação pela Câmara Municipal e a publicação no Diário Oficial do Município, neste caso, tem de ocorrer até o início do convênio assinado com o ministério. O lançamento dos editais do MinC, por meio de suas secretarias de Articulação Institucional (SAI), do Audiovisual (SAv) e da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), da Fundação Cultural Palmares (FCP) e da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), fez parte das atividades da Caravana da Cultura na Baixada Fluminense, realizadas hoje pelo ministério na região. Para o ministério, foi a maior caravana já realizada. Além do ministro Juca Ferreira, o evento teve participação dos secretários de Articulação Institucional, Vinicius Wu; da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ivana Bentes; de Fomento e Incentivo à Cultura, Carlos Paiva; e do Audiovisual, Pola Ribeiro. “Toda vez que a caravana passa por um lugar, a relação fica mais estreita. O ministério entende mais quais são as demandas, as necessidades e os produtores conhecem os canais de diálogo com o governo”, explicou o ministro. Para a secretária Ivana Bentes, os editais são indutores de políticas de cultura. “É importante que o governo federal esteja fazendo isso, porque as secretarias municipais também virão. É decisivo que se tenha uma produção de cultura territorial e que possa circular e ser consumida no local.” Segundo ela, é relevante que a arrecadação de recursos no município fique na própria cidade e parte dela retorne para a cultura. “A cultura é tão importante quanto saúde e educação. É importante que os governos federal, estaduais e municipais coloquem a cultura na centralidade do desenvolvimento. A cultura é uma propulsora de cidadania”, acrescentou Ivana Bentes.   Edição: Veja Timon Via: EBC