spot_img
spot_img

Possíveis nomes para assumir a Petrobras

spot_img
Compartilhe:

  A Petrobras confirmou a renúncia de Graça Foster do comando da maior empresa do país. Um novo presidente será escolhido na próxima reunião de Conselho da empresa, que se reúne nesta sexta-feira.

Mas os nomes dos possíveis substitutos ao cargo já estão sendo especulados há alguns dias.

Executivos de renome no mercado, como o do ex-presidente do BC, Henrique Meirelles, e o do ex-presidente da Vale, Roger Agnelli, estão na lista.

Uma saída “à la Levy”, como batizou o mercado, em alusão ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que era diretor do Bradesco e foi chamado para o governo.

Veja, a seguir, quais são os cotados a assumir o comando da Petrobras daqui para frente.

Henrique Meirelles
O ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, ficou no cargo de 2003 e 2011 até ser sucedido por Alexandre Tombini. Foi a pessoa que mais permaneceu no cargo na história do país, tendo liderado mudanças em meio à troca de gestões de governos e crises econômicas.

Roger Agnelli
Formado em economia pela FAAP, Roger Agnelli trabalhou de 1981 a 2000 no Bradesco e virou presidente da Vale por dez anos, de 2001 a 2011. Depois de deixar a companhia, fundou a AGN Participações, empresa de investimento focado no setor de commodities.

Murilo Ferreira
Atual presidente da Vale, Murilo está no cargo desde 2011 e também é um dos cotados a substituir Graça na Petrobras. Ingressou na Vale em 1998, como diretor financeiro e comercial das operações de alumínio, até ocupar o lugar que era de Roger Agneli, de quem foi um dos auxiliares mais próximos.

Rodolfo Landim
O carioca de 54 anos reúne um currículo de ampla experiência no setor de petróleo, tendo comandado a BR Distribuidora e lançado a OGX, do empresário Eike Batista. Atualmente, ele é sócio da Maré Investimentos, parceira do Banco Santander em empresas de óleo e gás, e está na Ouro Petro Petróleo e Gás.

Eduarda La Rocque
O nome de Eduarda teria sido cogitado há pouco tempo por sua proximidade com o Ministro da Fazenda, Joaquim Levy.  Mineira de Uberaba, a economista já foi secretária da Fazenda da cidade do Rio de Janeiro, quando ficou conhecida pela austeridade e implantação do “Nota Carioca”, semelhante ao “Nota Paulista” para reduzir evasão fiscal no município.

Nildemar Secches
Ex-presidente da Perdigão de 1994 a 2007, Sechhes ajudou a transformar a Perdigão de uma empresa familiar a um colosso de negócios da área de alimentos. Habilidade política e capacidade de execução seriam os seus dois trunfos para assumir o cargo.

 

 

Edição: Veja Timon

Fonte: Exame

Compartilhe:
spot_img
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Barras de proteína: quando posso comer e para que servem?

Por Juliana Castelo Práticas, fáceis de carregar na bolsa para qualquer lugar e saborosas! As barras de proteína são opções rápidas para repor os nutrientes...

Equatorial Maranhão alerta para a prevenção de acidentes com energia elétrica por causa dos alagamentos e enchentes

As fortes chuvas estão causando consequências em vários municípios maranhenses. De acordo com informações da Defesa Civil do Maranhão, 15 municípios já decretaram situação...

Uilma Resende sai em defesa dos farmacistas de Timon contra multas absurdas do Conselho

https://youtu.be/iFpOEXb2kds O vereador Uilma Resende denunciou ontem, 10, da tribuna da Câmara de Timon o que ele chamou de concorrência predatória dos grandes grupos farmacistas...