spot_img
spot_img

Prisão de jovem que agrediu homossexuais com lâmpada

spot_img
Compartilhe:

jovem-gay-agredido-com-lampadaAcusado de atacar um jovem homossexual com uma lâmpada fluorescente na Avenida Paulista em 2010, Jonathan Lauton Domingues continua sendo procurado pela polícia, informou a Secretaria de Administração Penitenciária. Ele teve prisão preventiva decretada no último dia 19 pela 1ª Vara do Júri Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

De acordo com a sentença, um dos argumentos para decretar a prisão é o fato de o réu ter se mostrado indiferente ao processo. Conforme o documento, ele não é localizado desde setembro de 2012 e está sem advogado. A medida determina ainda que o acusado constitua defensor em dez dias.

Presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Carlos Magno Fonseca elogiou a decisão da Justiça. Segundo ele, a sentença comprova que não é possível permitir a impunidade nos casos de homofobia no país. “Infelizmente, pela ausência de uma lei [que criminalize a homofobia], muitos casos vêm à tona, mas não têm penalização ou responsabilização devida. Queremos que os casos de homofobia não ocorram mais”, afirmou Fonseca.

Ele lembrou que o caso teve grande repercussão, pois foram divulgadas imagens de uma câmera de segurança mostrando um jovem caminhando pela Avenida Paulista e sendo atingido por um golpe de lâmpada na cabeça. “Foi emblemático, porque a própria cena do ato chocou muito, mostrou como a homofobia é cruel e como ela atinge a população diariamente. Fonseca lamentou a necessidade de mostrar essa ação gratuita contra homossexuais para que se levasse em consideração algo que o movimento já denunciava.

A ação foi praticada por cinco pessoas. Domingues, à época com 19 anos, foi levado para um distrito policial. Os demais foram encaminhado à Fundação Casa. De acordo com o boletim de ocorrência, três pessoas foram agredidas na madrugada de 14 de novembro de 2010. A primeira agressão foi a um fotógrafo de 20 anos e um estudante de 19 anos. Segundo testemunhas, eles estavam em um ponto de táxi e foram surpreendidos pelos agressores com socos e pontapés. O fotógrafo, cujo nome não foi divulgado, conseguiu correr e se refugiar em uma estação de metrô próxima. O estudante ficou muito machucado e foi levado ao hospital por policiais.

Logo em seguida, os cinco jovens atacaram Luis Alberto Betonio, autor da ação contra Domingues. O grupo quebrou uma lâmpada fluorescente na cabeça de Betonio. A polícia conseguiu deter os agressores perto do local da segunda ocorrência. Um dos advogados de defesa alegou, à época, que a agressão foi motivada pelo fato de um dos acusados ter sido paquerado pela vítima.

 

Edição: Veja Timon

Via: Agência Brasil

Compartilhe:
spot_img
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Barras de proteína: quando posso comer e para que servem?

Por Juliana Castelo Práticas, fáceis de carregar na bolsa para qualquer lugar e saborosas! As barras de proteína são opções rápidas para repor os nutrientes...

Equatorial Maranhão alerta para a prevenção de acidentes com energia elétrica por causa dos alagamentos e enchentes

As fortes chuvas estão causando consequências em vários municípios maranhenses. De acordo com informações da Defesa Civil do Maranhão, 15 municípios já decretaram situação...

Uilma Resende sai em defesa dos farmacistas de Timon contra multas absurdas do Conselho

https://youtu.be/iFpOEXb2kds O vereador Uilma Resende denunciou ontem, 10, da tribuna da Câmara de Timon o que ele chamou de concorrência predatória dos grandes grupos farmacistas...