Após traição, mulher corta, cozinha e come pênis do seu namorado

spot_img
Compartilhe:

A notícia não é nova, mas a grande repercusão do caso merece ser postada. Após a enfermeira Brenda Barattini de 26 anos mutilar seu namorado, ela foi presa acusada de cortar, cozinhar e comer o órgão genital e os testículos de seu suposto namorado Sergio F. ela usou uma tesoura de jardinagem. De acordo com o delegado que investiga o caso, a mulher atacou o homem de 32 anos na manhã do dia 28.02, na cidade de Capinzal do norte- MA.

Segundo a mãe do rapaz, o que incentivou o ataque teria sido uma traição descoberta por Brenda, ela teria planejado todo o ataque, Brenda convidou Sergio para sua casa e aproveitou o momento em que o rapaz dormia para amarrá-lo na cama e cometer o ataque. Brenda cortou o órgão genital do rapaz e quanto ele gritava de dor ela foi até a cozinha e cozinhou o órgão genital e o comeu.

Os vizinhos ouviram os gritos de Sergio e chamaram a polícia, uma ambulância foi acionada, chegando no local os socorristas atenderam o rapaz e quando perguntaram sobre o órgão genital, Brenda não exitou em responder: “Eu comi ele”.

Apesar de estar na UTI, a vítima está consciente, em “estado regular”. Ele não chegou a comentar o caso. Os médicos, por sua vez, também preferiram não entrar em detalhes, porque é algo muito pessoal que “pode prejudicar bastante o estado psicológico do paciente”. Devido à internação, a polícia ainda não escutou a versão dele sobre os fatos.

“Não estamos entrando em detalhes que possam constranger o paciente”, informou a unidade.

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

Aulas na Rede Estadual iniciam nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão

Nesta segunda-feira (6), estudantes da Rede Estadual nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão retornaram às salas de aula. Para fortalecer as estratégias...

Projeto de Lei do deputado Rafael assegura acesso a medicamentos à base de canabidiol e similares

O Projeto de Lei 01/2023, de autoria do deputado Rafael, assegura o acesso a medicamentos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) “às...
A notícia não é nova, mas a grande repercusão do caso merece ser postada. Após a enfermeira Brenda Barattini de 26 anos mutilar seu namorado, ela foi presa acusada de cortar, cozinhar e comer o órgão genital e os testículos de seu suposto namorado Sergio F. ela usou uma tesoura de jardinagem. De acordo com o delegado que investiga o caso, a mulher atacou o homem de 32 anos na manhã do dia 28.02, na cidade de Capinzal do norte- MA. Segundo a mãe do rapaz, o que incentivou o ataque teria sido uma traição descoberta por Brenda, ela teria planejado todo o ataque, Brenda convidou Sergio para sua casa e aproveitou o momento em que o rapaz dormia para amarrá-lo na cama e cometer o ataque. Brenda cortou o órgão genital do rapaz e quanto ele gritava de dor ela foi até a cozinha e cozinhou o órgão genital e o comeu. Os vizinhos ouviram os gritos de Sergio e chamaram a polícia, uma ambulância foi acionada, chegando no local os socorristas atenderam o rapaz e quando perguntaram sobre o órgão genital, Brenda não exitou em responder: “Eu comi ele”. Apesar de estar na UTI, a vítima está consciente, em “estado regular”. Ele não chegou a comentar o caso. Os médicos, por sua vez, também preferiram não entrar em detalhes, porque é algo muito pessoal que “pode prejudicar bastante o estado psicológico do paciente”. Devido à internação, a polícia ainda não escutou a versão dele sobre os fatos. “Não estamos entrando em detalhes que possam constranger o paciente”, informou a unidade.