As inevitáveis comparações do caso de assédio sexual em escola com crimes do gênero ainda impunes

spot_img
Compartilhe:

 

São inevitáveis as comparações das recentes denúncias de casos de crimes de assédio sexual praticado por um dos dos dirigentes da Escola Militar Tiradentes V, em Timon, com o envolvimento do ex-vice-presidente do PCdoB de Timon Clemilton Colaço, em 2017, que acusado de estuprar duas sobrinhas em situação de vulnerabilidade, uma de 10 e outra de 13 anos, foi preso pela polícia dormiu alguns dias no Centro de Ressocialização Jorge Vieira e em seguida libertado pela Justiça, segundo o inquérito que corre em segredo de justiça.

As famílias das adolescentes têm o temor que aconteça no caso diretor da Escola Militar Tiradentes V, que é militar, o mesmo que ocorreu com o ex-dirigente comunista e mais uma vez denúncias dessa natureza caiam no esquecimento e os acusados fiquem impunes, haja vista que nesse caso de assédio sexual existia e existe ainda muita omissão e desinteresse em levar o acusado a uma apuração mais profunda pelo fato dele ser militar.

Ontem, 01, a direção principal ou o comando da Escola distribuiu nota tentando se proteger da grande repercussão que vem tendo da mídia e tenta abafar cancelando as atividades escolares de hoje, 02, quando estava prevista uma manifestação de pessoas envolvidas direta ou indiretamente com a denúncia e que vem recebendo a solidariedade e apoio da sociedade contra a impunidade.

Não se trata de fazer julgamento prévio ou condenar mais uma pessoa no âmbito ainda da denúncia, mas sim cobrar uma apuração rigorosa das denúncias, pois a partir de quando não existe interesse em apurar uma delas, outras denúncias vêm surgindo a todo momento de adolescentes encorajadas a relatar alguma forma de pressão para ceder aos caprichos sexuais do denunciado, que como todo cidadão tem o direito a ampla defesa.

Ainda achamos que a justiça ainda é o melhor caminho para punir os malfeitores!

É isso!

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Governador ministra aula de matemática durante abertura do ano letivo de 2023

Rafael Fonteles realizou, nesta segunda, dia 6, solenidade em Altos para marcar início das aulas da rede estadual de Educação. Para marcar o início...

Confira sete alimentos que promovem saciedade   

Nutricionista explica que escolher alimentos corretos traz saciedade e colabora com o emagrecimento saudável   Muitas pessoas iniciam o ano com o objetivo de adotar...

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...
  São inevitáveis as comparações das recentes denúncias de casos de crimes de assédio sexual praticado por um dos dos dirigentes da Escola Militar Tiradentes V, em Timon, com o envolvimento do ex-vice-presidente do PCdoB de Timon Clemilton Colaço, em 2017, que acusado de estuprar duas sobrinhas em situação de vulnerabilidade, uma de 10 e outra de 13 anos, foi preso pela polícia dormiu alguns dias no Centro de Ressocialização Jorge Vieira e em seguida libertado pela Justiça, segundo o inquérito que corre em segredo de justiça. As famílias das adolescentes têm o temor que aconteça no caso diretor da Escola Militar Tiradentes V, que é militar, o mesmo que ocorreu com o ex-dirigente comunista e mais uma vez denúncias dessa natureza caiam no esquecimento e os acusados fiquem impunes, haja vista que nesse caso de assédio sexual existia e existe ainda muita omissão e desinteresse em levar o acusado a uma apuração mais profunda pelo fato dele ser militar. Ontem, 01, a direção principal ou o comando da Escola distribuiu nota tentando se proteger da grande repercussão que vem tendo da mídia e tenta abafar cancelando as atividades escolares de hoje, 02, quando estava prevista uma manifestação de pessoas envolvidas direta ou indiretamente com a denúncia e que vem recebendo a solidariedade e apoio da sociedade contra a impunidade. Não se trata de fazer julgamento prévio ou condenar mais uma pessoa no âmbito ainda da denúncia, mas sim cobrar uma apuração rigorosa das denúncias, pois a partir de quando não existe interesse em apurar uma delas, outras denúncias vêm surgindo a todo momento de adolescentes encorajadas a relatar alguma forma de pressão para ceder aos caprichos sexuais do denunciado, que como todo cidadão tem o direito a ampla defesa. Ainda achamos que a justiça ainda é o melhor caminho para punir os malfeitores! É isso!