Ataque do Boko Haram no Chade deixa dez mortos

spot_img
Compartilhe:

Boko-Haram  O primeiro ataque do grupo radical islâmico Boko Haram em território chadiano, em uma localidade no Lago Chade, deixou dez mortos, segundo a imprensa local. Os combatentes do Boko Haram alcançaram Ngouboua em botes a partir da cidade nigeriana de Baga, e mataram pelo menos dez pessoas, entre as quais o chefe da aldeia, na sequência do ataque que teve como alvo a área residencial e um quartel das Forças Armadas do Chade.

O Exército do Chade iniciou uma operação de perseguição aos autores do ataque, que coincide com uma operação multinacional liderada pela Nigéria e pelo Chade para expulsar o Boko Haram das suas áreas de influência no Nordeste do país.

O Chade, que tem uma das forças armadas mais poderosas da região, efetuou nos últimos dias vários ataques aéreos contra posições do Boko Haram.

Assim, as tropas chadianas reconquistaram a localidade nigeriana de Gamboru, onde mataram 250 supostos membros da organização radical islâmica, após dois dias de intensos combates na fronteira entre a Nigéria e Camarões.

Em represália, o Boko Haram intensificou as incursões no Níger e Camarões, como a da semana passada na localidade camaronesa de Fotokol, onde degolou e assassinou cerca de 100 civis.

Recentemente, a União Africana autorizou uma força regional de 7.500 soldados para combater os radicais islâmicos, que pretendem criar um estado islâmico no Norte da Nigéria, majoritariamente muçulmano, ao contrário do Sul, de maioria cristã.

Desde 2009, a atividade de guerrilha do Boko Haram causou 13 mil mortos e 1,5 milhão de deslocados na Nigéria e atinge agora os países vizinhos.

 

Edição: Veja Timon

Via: Agência Brasil

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Mercado de trabalho: Programa de Trainee Aegea está com inscrições abertas para Timon

Os interessados podem se inscrever até o dia 24 de outubro, de forma on-line A Aegea, empresa líder no setor de saneamento privado no Brasil,...

Carlos Brandão é reeleito governador, Timon terá dois deputados e Leitoas saem enfraquecidos do pleito

O governador Carlos Brandão liderou a disputa em primeiro turno pelo governo do Maranhão a partir das primeiras urnas abertas ontem, às 18h, até...

Águas de Timon celebra conclusão do projeto Desvendar Esporte

Nesta quinta-feira (29), a Águas de Timon celebrou a conclusão das atividades do projeto Desvendar Esporte, patrocinado pela Águas de Timon, durante ação no...
Boko-Haram  O primeiro ataque do grupo radical islâmico Boko Haram em território chadiano, em uma localidade no Lago Chade, deixou dez mortos, segundo a imprensa local. Os combatentes do Boko Haram alcançaram Ngouboua em botes a partir da cidade nigeriana de Baga, e mataram pelo menos dez pessoas, entre as quais o chefe da aldeia, na sequência do ataque que teve como alvo a área residencial e um quartel das Forças Armadas do Chade. O Exército do Chade iniciou uma operação de perseguição aos autores do ataque, que coincide com uma operação multinacional liderada pela Nigéria e pelo Chade para expulsar o Boko Haram das suas áreas de influência no Nordeste do país. O Chade, que tem uma das forças armadas mais poderosas da região, efetuou nos últimos dias vários ataques aéreos contra posições do Boko Haram. Assim, as tropas chadianas reconquistaram a localidade nigeriana de Gamboru, onde mataram 250 supostos membros da organização radical islâmica, após dois dias de intensos combates na fronteira entre a Nigéria e Camarões. Em represália, o Boko Haram intensificou as incursões no Níger e Camarões, como a da semana passada na localidade camaronesa de Fotokol, onde degolou e assassinou cerca de 100 civis. Recentemente, a União Africana autorizou uma força regional de 7.500 soldados para combater os radicais islâmicos, que pretendem criar um estado islâmico no Norte da Nigéria, majoritariamente muçulmano, ao contrário do Sul, de maioria cristã. Desde 2009, a atividade de guerrilha do Boko Haram causou 13 mil mortos e 1,5 milhão de deslocados na Nigéria e atinge agora os países vizinhos.   Edição: Veja Timon Via: Agência Brasil