Blocos homenageiam “rainha do baião” de Timon

spot_img
Compartilhe:

bloco-estacao-das-flores-homenageia-rainha-do-baiao-de-timon-ma  A rainha do baião de Timon (MA), Antônia Bacalhau, foi homenageada pelos blocos “Estação das Flores” e “Baião de Boi” no Zé Pereira deste ano. Aos 85 anos, a timonense, que é referência de alegria e festa do momo, acompanhou os blocos, mesmo com a chuva.

Este ano, o “Estação das Flores” uniu o bloco Baião de Boi, coordenado por Severino Santos, cantor e agitador cultural que vive entre Teresina e Timon. Os brincantes levaram os bumbas-bois Imperador da Ilha e do Riso da Mocidade, os mais tradicionais da região. Participaram também Roberto Portela, dos Caiporas, e o cantor Dimas Bezerra.

Veja Também:

Uma das idealizadoras do bloco, Carla Senna, ressaltou que a proposta é valorizar a cultura popular e as pessoas de Timon. O projeto “Estação das Flores” foi criado em outubro do ano passado com atividades artísticas e culturais alternativas, como leitura e contação de histórias para crianças, saraus literários, shows musicais e espetáculos teatrais.

“A proposta é de valorização das manifestações tradicionais da cultura timonense, bem como capacitações nas áreas artísticas e literárias, fomentando a economia da cultura solidária e colaborativa no bairro São Francisco, tendo a comunidade como protagonizadora. O projeto é semeado por um coletivo que conta com a participação de moradores dos arredores da Estação Ferroviária, artistas e produtores culturais de Timon e Teresina”, ressaltou Carla Senna.

Tomando uma atitudade de diversificar as manifestação de blocos carnavalescos de Timon foi criado o bloco que este ano se uniu ao Baião de Boi. O baião de Timon, também originário do lundu africano, apesar das mudanças nos instrumentos, como a troca da sanfona por teclados, ainda conserva peculiaridades em seu rítmo e em sua dança.

Os mais antigos ainda dançam com um instrumento denominado por eles de “gafanhoto”, uma espécie de castanhola à timonense.

“Pesquisas que estão sendo realizadas pela Fundação de Cultura de Timon, indicam ser este instrumento a origem dos conhecidos “bois de matraca”, o que também relaciona o baião timonense, ou baião de gafanhoto, à brincadeira do bumba-meu-boi”, ressaltou Carla Senna.

Antônia Bacalhau recebeu o título de Rainha do Baião pelos antigos músicos e terreiros por onde as festas se realizavam. Sua presença como dançarina incansável, assimo como os próprios músicos, dava a tônica peculiar deste ritmo timonense. Ela tem o reconhecimento de diversas comunidades do município, tanto urbanas como rurais.  Para salvaguardar sua memória é que seus filhos e amigos criaram o “Bloco da Bacaiau – Rainha do Baião”, organizado todos os anos na rua Odilo Costa, bairro Santo Antônio, em frente à residência da família.

“O bloco é uma homenagem a minha avó, que adora a tradição do baião dançado com gafanhoto”, diz Vania da Silva, neta de dona Antônia.

Este ano de 2016 a família Bacalhau se integrou à proposta de valorização das tradições de Timon feita pelo Coletivo Estação das Flores e, pela primeira vez, desfilaram na Avenida Piauí durante o Zé Pereira de Timon 2016, realizado pela Fundação Municipal de Cultura. Nos dias 07 e 09 de fevereiro próximos, período da Festa de Momo, quando o Bloco da Rainha do Baião faz sua folia, o  movimento Estação das Flores estará presente.

 

Edição: Veja Timon

Via: Cidade Verde

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Josimar do Maranhãozinho faz investida ao casal Assis e Janaína Ramos

A conversa proveitosa entre os três beneficia o suplente de deputado Henrique Junior em seu projeto de ser o próximo prefeito de Timon Um encontro...

Governo do Maranhão disponibiliza testagem da Covid-19 para moradores da Capital

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), disponibilizou o serviço de testagem para diagnóstico da Covid-19 à população...

Bronquite, laringite, sinusite? Pode ser adenovírus

Família de mais de 60 tipos de vírus costuma afetar crianças no final do ano; saiba como prevenir e tratar Por Elainy Castro Com a temporada...
bloco-estacao-das-flores-homenageia-rainha-do-baiao-de-timon-ma  A rainha do baião de Timon (MA), Antônia Bacalhau, foi homenageada pelos blocos “Estação das Flores” e “Baião de Boi” no Zé Pereira deste ano. Aos 85 anos, a timonense, que é referência de alegria e festa do momo, acompanhou os blocos, mesmo com a chuva. Este ano, o “Estação das Flores” uniu o bloco Baião de Boi, coordenado por Severino Santos, cantor e agitador cultural que vive entre Teresina e Timon. Os brincantes levaram os bumbas-bois Imperador da Ilha e do Riso da Mocidade, os mais tradicionais da região. Participaram também Roberto Portela, dos Caiporas, e o cantor Dimas Bezerra. Veja Também: Uma das idealizadoras do bloco, Carla Senna, ressaltou que a proposta é valorizar a cultura popular e as pessoas de Timon. O projeto “Estação das Flores” foi criado em outubro do ano passado com atividades artísticas e culturais alternativas, como leitura e contação de histórias para crianças, saraus literários, shows musicais e espetáculos teatrais. “A proposta é de valorização das manifestações tradicionais da cultura timonense, bem como capacitações nas áreas artísticas e literárias, fomentando a economia da cultura solidária e colaborativa no bairro São Francisco, tendo a comunidade como protagonizadora. O projeto é semeado por um coletivo que conta com a participação de moradores dos arredores da Estação Ferroviária, artistas e produtores culturais de Timon e Teresina”, ressaltou Carla Senna. Tomando uma atitudade de diversificar as manifestação de blocos carnavalescos de Timon foi criado o bloco que este ano se uniu ao Baião de Boi. O baião de Timon, também originário do lundu africano, apesar das mudanças nos instrumentos, como a troca da sanfona por teclados, ainda conserva peculiaridades em seu rítmo e em sua dança. Os mais antigos ainda dançam com um instrumento denominado por eles de “gafanhoto”, uma espécie de castanhola à timonense. “Pesquisas que estão sendo realizadas pela Fundação de Cultura de Timon, indicam ser este instrumento a origem dos conhecidos “bois de matraca”, o que também relaciona o baião timonense, ou baião de gafanhoto, à brincadeira do bumba-meu-boi”, ressaltou Carla Senna. Antônia Bacalhau recebeu o título de Rainha do Baião pelos antigos músicos e terreiros por onde as festas se realizavam. Sua presença como dançarina incansável, assimo como os próprios músicos, dava a tônica peculiar deste ritmo timonense. Ela tem o reconhecimento de diversas comunidades do município, tanto urbanas como rurais.  Para salvaguardar sua memória é que seus filhos e amigos criaram o “Bloco da Bacaiau – Rainha do Baião”, organizado todos os anos na rua Odilo Costa, bairro Santo Antônio, em frente à residência da família. “O bloco é uma homenagem a minha avó, que adora a tradição do baião dançado com gafanhoto”, diz Vania da Silva, neta de dona Antônia. Este ano de 2016 a família Bacalhau se integrou à proposta de valorização das tradições de Timon feita pelo Coletivo Estação das Flores e, pela primeira vez, desfilaram na Avenida Piauí durante o Zé Pereira de Timon 2016, realizado pela Fundação Municipal de Cultura. Nos dias 07 e 09 de fevereiro próximos, período da Festa de Momo, quando o Bloco da Rainha do Baião faz sua folia, o  movimento Estação das Flores estará presente.   Edição: Veja Timon Via: Cidade Verde