Calor: Cuidados com a pele durante o B-R-O-Bró  

spot_img
Compartilhe:

 Esteticista dá dicas sobre hábitos a serem adotados para evitar danos causados pelo sol  

Com temperaturas ultrapassando os 40 graus na Capital Piauiense, a atenção dedicada aos cabelos e pele precisa ser redobrada. Por conta do calor, muitos acreditam que lavar e enxaguar cabelo e rosto com frequência ajuda a reduzir a oleosidade. Entretanto, profissionais da área reforçam a importância da utilização de produtos corretos, hidratação contínua, consulta com dermatologistas e especialistas para aproveitar a época sem danos. 

Durantes os meses mais quentes do ano, denominados pelos teresinenses como “B-R-O-Bró”, o couro cabeludo tende a criar mais sebo e a pele ficar mais oleosa, mas com aspecto seco. A terapeuta capilar e professora de Estética e Cosmética da Faculdade UNINASSAU Redenção, em Teresina, Gilmara Linhares explica que a reação do organismo tende a trazer mais sudorese e mais oleosidade. “Quanto mais quente, mais vamos transpirar. Com a transpiração, temos sebo, temos brilho, ou seja, bastante óleo, e temos pele agredida.  Mas isso não significa evitar hidratá-los, tanto pele quanto cabelo. Então, precisamos de produtos especificamente voltados para essa estação, como o sérum ou gel. Além disso, evitar procedimentos de esfoliação, pois a pele já estará sensível”, conta Linhares. 

A especialista também alerta para o erro comum dos pacientes em lavar o rosto e a cabeça com mais frequência, na intenção de reduzir a oleosidade. Entretanto, essa atitude leva a um efeito contrário, causando mais problemas relacionados à caspa, queda de cabelo e acne. Gilmara cita ainda a importância dos produtos adequados para a utilização, sob orientação de um profissional. “Usar protetor solar é um hábito que precisa ser absorvido o mais rápido possível por todos. Porém, quando falamos de cabelo, muitos nem sabem, mas eles sofrem queimaduras também. Então, a aposta em produtos específicos para a proteção capilar contra o sol, além da hidratação feita por leave-in, por exemplo, é essencial para o bem-estar das madeixas. Uma outra dica é nunca dormir com os cabelos úmidos, principalmente a raiz”, finaliza Gilmara Linhares. 

A ingestão de pelo menos 2 litros de água, ou 40 ml por quilo de peso, torna-se o principal aliado para a saúde do organismo e, consequentemente, da pele e cabelos. Assim, bloqueador solar, chapéus, guarda-sóis e a consciência são bem-vindos quando o assunto é o dia a dia com exposição solar. Por Ricardo Mousinho, da Assessoria Uninassau.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Josimar do Maranhãozinho faz investida ao casal Assis e Janaína Ramos

A conversa proveitosa entre os três beneficia o suplente de deputado Henrique Junior em seu projeto de ser o próximo prefeito de Timon Um encontro...

Governo do Maranhão disponibiliza testagem da Covid-19 para moradores da Capital

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), disponibilizou o serviço de testagem para diagnóstico da Covid-19 à população...

Bronquite, laringite, sinusite? Pode ser adenovírus

Família de mais de 60 tipos de vírus costuma afetar crianças no final do ano; saiba como prevenir e tratar Por Elainy Castro Com a temporada...
 Esteticista dá dicas sobre hábitos a serem adotados para evitar danos causados pelo sol  
Com temperaturas ultrapassando os 40 graus na Capital Piauiense, a atenção dedicada aos cabelos e pele precisa ser redobrada. Por conta do calor, muitos acreditam que lavar e enxaguar cabelo e rosto com frequência ajuda a reduzir a oleosidade. Entretanto, profissionais da área reforçam a importância da utilização de produtos corretos, hidratação contínua, consulta com dermatologistas e especialistas para aproveitar a época sem danos. 
Durantes os meses mais quentes do ano, denominados pelos teresinenses como “B-R-O-Bró”, o couro cabeludo tende a criar mais sebo e a pele ficar mais oleosa, mas com aspecto seco. A terapeuta capilar e professora de Estética e Cosmética da Faculdade UNINASSAU Redenção, em Teresina, Gilmara Linhares explica que a reação do organismo tende a trazer mais sudorese e mais oleosidade. “Quanto mais quente, mais vamos transpirar. Com a transpiração, temos sebo, temos brilho, ou seja, bastante óleo, e temos pele agredida.  Mas isso não significa evitar hidratá-los, tanto pele quanto cabelo. Então, precisamos de produtos especificamente voltados para essa estação, como o sérum ou gel. Além disso, evitar procedimentos de esfoliação, pois a pele já estará sensível”, conta Linhares. 
A especialista também alerta para o erro comum dos pacientes em lavar o rosto e a cabeça com mais frequência, na intenção de reduzir a oleosidade. Entretanto, essa atitude leva a um efeito contrário, causando mais problemas relacionados à caspa, queda de cabelo e acne. Gilmara cita ainda a importância dos produtos adequados para a utilização, sob orientação de um profissional. “Usar protetor solar é um hábito que precisa ser absorvido o mais rápido possível por todos. Porém, quando falamos de cabelo, muitos nem sabem, mas eles sofrem queimaduras também. Então, a aposta em produtos específicos para a proteção capilar contra o sol, além da hidratação feita por leave-in, por exemplo, é essencial para o bem-estar das madeixas. Uma outra dica é nunca dormir com os cabelos úmidos, principalmente a raiz”, finaliza Gilmara Linhares. 
A ingestão de pelo menos 2 litros de água, ou 40 ml por quilo de peso, torna-se o principal aliado para a saúde do organismo e, consequentemente, da pele e cabelos. Assim, bloqueador solar, chapéus, guarda-sóis e a consciência são bem-vindos quando o assunto é o dia a dia com exposição solar. Por Ricardo Mousinho, da Assessoria Uninassau.