Cem pessoas tiveram contato com infectados pela perigosa variante indiana no Maranhão

spot_img
Compartilhe:

Cerca de 100 pessoas que tiveram contato com os pacientes infectados com a variante indiana do coronavírus em São Luís (Maranhão) estão sendo rastreadas e serão isoladas e testadas. A informação foi passada pelo secretário de Saúde do estado, Carlos Lula, ontem, quinta-feira (20).

Hoje, o secretário confirmou que seis pessoas que estavam em um navio indiano vindo da África do Sul que está ancorado no Maranhão estão com essa variante da covid-19. Três desses pacientes saíram do navio para receber atendimento médico na capital maranhense e são as pessoas que tiveram contato com eles que estão sendo observadas agora.

No domingo, o governo já havia dito que um indiano de 54 anos deu entrada em um hospital privado de São Luís, na sexta, com covid-19. O diagnóstico já estava confirmado, mas foi preciso fazer um sequenciamento do genoma para identificar a cepa do coronavírus, confirmando se tratar mesmo da B.1617. Ele é um tripulante do navio MV Shandong da ZHI, que por conta do surto não recebeu autorização para atracar.

‘Preocupação Global’

Médicos e cientistas têm demonstrado preocupação com a variante indiana B.1617, que teria capacidade de transmissão maior do que a cepa original do vírus. Ela foi classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma “preocupação global”.

Nesta última semana, o governo Jair Bolsonaro decidiu proibir voos internacionais com origem ou passagem pela Índia, país que enfrenta uma crise decorrente de uma alta recorde de casos e mortes por covid-19. A proibição se soma a restrições da mesma natureza relativa a voos do Reino Unido e África do Sul.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Senhor dos Anéis: Moraes manda “CNN”, “Veja” e “GNews” quebrarem sigilo da fonte jornalística

O ministro quer quer o conteúdo das entrevistas com Marcos do Val sejam comparados ao depoimento dele à PF Os três veículos de imprensa...

Proposta de “oposição unida” em Timon terá que enfrentar o primeiro obstáculo: cargos

Nomeações para cargos em Timon deverá ser o primeiro desafio da proposta de união da oposição a começar pelos aliados do governador. Muito embora tenham...

Tudo o que os governistas de Timon não queriam, poderá acontecer em 2024. Oposição trabalha pela união

Oposição de Timon, realizou em São Luiz, ontem, a primeira reunião para tratar da união do grupo e vencer as eleições em 2024. Em reunião,...

Cerca de 100 pessoas que tiveram contato com os pacientes infectados com a variante indiana do coronavírus em São Luís (Maranhão) estão sendo rastreadas e serão isoladas e testadas. A informação foi passada pelo secretário de Saúde do estado, Carlos Lula, ontem, quinta-feira (20).

Hoje, o secretário confirmou que seis pessoas que estavam em um navio indiano vindo da África do Sul que está ancorado no Maranhão estão com essa variante da covid-19. Três desses pacientes saíram do navio para receber atendimento médico na capital maranhense e são as pessoas que tiveram contato com eles que estão sendo observadas agora.

No domingo, o governo já havia dito que um indiano de 54 anos deu entrada em um hospital privado de São Luís, na sexta, com covid-19. O diagnóstico já estava confirmado, mas foi preciso fazer um sequenciamento do genoma para identificar a cepa do coronavírus, confirmando se tratar mesmo da B.1617. Ele é um tripulante do navio MV Shandong da ZHI, que por conta do surto não recebeu autorização para atracar.

'Preocupação Global'

Médicos e cientistas têm demonstrado preocupação com a variante indiana B.1617, que teria capacidade de transmissão maior do que a cepa original do vírus. Ela foi classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma "preocupação global".

Nesta última semana, o governo Jair Bolsonaro decidiu proibir voos internacionais com origem ou passagem pela Índia, país que enfrenta uma crise decorrente de uma alta recorde de casos e mortes por covid-19. A proibição se soma a restrições da mesma natureza relativa a voos do Reino Unido e África do Sul.