Corte de 167 mil no repasse para Câmara gera ação judicial e pedido para afastar Dinair Veloso

spot_img
Compartilhe:
Dinair Veloso estaria enviando recursos a menos dos percentuais que a Câmara tem direito

Vereadores da base do governo, aliados da prefeita Dinair Veloso, de Timon, estão alegando cortes de mais 50 por cento na verba indenizatória e até de salários dos assessores comissionados, integrados ao seus gabinetes. Eles credenciam esse corte ao presidente Uilma Resende, que por sua vez, em conversa com o blogdoribinha, afirma ter recebido repasses no valor de 167 mil reais a menos, este mês, com relação aos valores dos meses anteriores.

Alguns vereadores alegam que tiveram cortes de até 10 mil reais em seus gabinetes e que isso inviabiliza, inclusive, as atividades e ações parlamentares.

De acordo com o presidente da Câmara, a primeira providência, já adotada adotada pela assessoria jurídica da Casa Legislativa, é um mandato de segurança com intuito de bloquear os recursos do Poder Executivo afim de que a Vara dos Feitos da Fazenda, através do Juiz Welliton Carvalho, e a Câmara de Timon possa receber o valor integral do repasse, que apesar de vir diminuindo a cada mês, desta vez causou um dano e prejuízos, inclusive, com folha de pagamento dos servidores.

Os vereadores governistas, disseram ao blog que não houve corte ou suspensão de recursos, que o presidente está agindo politicamente por conta de posições políticas assumidas pelo presidente da Câmara de Timon, que é contra o governo e dizem suspeitar que os vereadores de oposição, talvez não tenham sofrido as consequências desse corte como os vereadores aliados do governo foram abatidos. Eles dizem que o governo não fez nenhum repasse a menos do valor previsto e já que o presidente recorreu à justiça, eles irão aguardar a decisão do judicial.

Em conversa com o líder da oposição vereador Juarez Moraes, ele não só confirmou os cortes como também adiantou ao blog que vai se reunir com o grupo para pedir o afastamento do cargo da prefeita Dinair Veloso com base nos artigo 29A da Constituição Federal que estabelece o repasses e garante os recursos para as Câmaras Municipais, no caso para a Camara de Timon, em percentuais de 5.5 a 6 por cento, mas que o Executivo não está cumprindo a Lei, portanto, a gestora está passível das punições previstas pelo descumprimento.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Águas de Timon informa: obras de infraestrutura de esgoto seguem em ritmo acelerado

As obras de esgotamento sanitário em Timon seguem a todo vapor. Entre os dias 5 e 10 de dezembro, a concessionária Águas de Timon...

Após onda de manifestações, procurador-geral do Irã anuncia extinção da polícia da moralidade

Governo irá reavaliar a lei sobre a obrigatoriedade do uso do véu islâmico, e uma modificação deve ser anunciada em 15 dias. Quase três meses...

Alcolumbre e Lira devem bater martelo sobre Bolsa Família fora do teto por 2 anos

O novo prazo para que o programa social fique fora da atual regra fiscal deve ser a única mudança a ser feita no texto...
Dinair Veloso estaria enviando recursos a menos dos percentuais que a Câmara tem direito
Vereadores da base do governo, aliados da prefeita Dinair Veloso, de Timon, estão alegando cortes de mais 50 por cento na verba indenizatória e até de salários dos assessores comissionados, integrados ao seus gabinetes. Eles credenciam esse corte ao presidente Uilma Resende, que por sua vez, em conversa com o blogdoribinha, afirma ter recebido repasses no valor de 167 mil reais a menos, este mês, com relação aos valores dos meses anteriores. Alguns vereadores alegam que tiveram cortes de até 10 mil reais em seus gabinetes e que isso inviabiliza, inclusive, as atividades e ações parlamentares. De acordo com o presidente da Câmara, a primeira providência, já adotada adotada pela assessoria jurídica da Casa Legislativa, é um mandato de segurança com intuito de bloquear os recursos do Poder Executivo afim de que a Vara dos Feitos da Fazenda, através do Juiz Welliton Carvalho, e a Câmara de Timon possa receber o valor integral do repasse, que apesar de vir diminuindo a cada mês, desta vez causou um dano e prejuízos, inclusive, com folha de pagamento dos servidores. Os vereadores governistas, disseram ao blog que não houve corte ou suspensão de recursos, que o presidente está agindo politicamente por conta de posições políticas assumidas pelo presidente da Câmara de Timon, que é contra o governo e dizem suspeitar que os vereadores de oposição, talvez não tenham sofrido as consequências desse corte como os vereadores aliados do governo foram abatidos. Eles dizem que o governo não fez nenhum repasse a menos do valor previsto e já que o presidente recorreu à justiça, eles irão aguardar a decisão do judicial. Em conversa com o líder da oposição vereador Juarez Moraes, ele não só confirmou os cortes como também adiantou ao blog que vai se reunir com o grupo para pedir o afastamento do cargo da prefeita Dinair Veloso com base nos artigo 29A da Constituição Federal que estabelece o repasses e garante os recursos para as Câmaras Municipais, no caso para a Camara de Timon, em percentuais de 5.5 a 6 por cento, mas que o Executivo não está cumprindo a Lei, portanto, a gestora está passível das punições previstas pelo descumprimento.