Deputado Rafael apresenta sugestão para acabar com taxas abusivas de esgoto e ampliar acesso à tarifa social

spot_img
Compartilhe:

A cobrança ilegal de serviços de esgotos ainda não executadas pela empresa Águas de Timon, foi apresentada na manhã da última quarta-feira (13) pelo deputado Rafael, na tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão. Mesmo com a inexistência das ligações domiciliares para coleta do esgoto, a tarifa vem sendo cobrada.

Rafael comentou sobre a inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto, inaugurada recentemente pela Águas de Timon, mas que ainda não está em operação pela falta de ligação em toda a cidade. Como exemplo, o deputado citou o esgoto que corre a céu aberto em algumas ruas do Centro de Timon. ““O serviço foi inaugurado num dia e no outro dia chegou a conta do mês inteiro como se a empresa tivesse prestado serviço de esgoto, o que não prestou e nem está prestando”, alertou o deputado Rafael.

Ainda em relação ao aumento apresentado, Rafael ressaltou que a lei aprovada, cobrando um aumento de 80% na tarifa de esgoto, é incompatível com a realidade da população timonense, que mora em uma cidade quente e não pode ter como mecanismo de cobrança a faixa de consumo, sendo mais justo a aferição ser por metros cúbicos e esta taxa aumente conforme a necessidade da população. “Outra situação importante de ser revista é a quantidade mínima de dez metros cúbicos. Este número é hoje insuficiente para atender as necessidades de uma família. Como alternativa, sugerimos o aumento do volume do metro cúbico por mês, para que possa ser cobrada a tarifa mínima de dez para quinze metros cúbicos, por exemplo, para que mais pessoas, mais famílias possam se adequar dentro do consumo mínimo”, apresentou o deputado.

O deputado finalizou afirmando não ser justo o que acontece hoje em Timon, cujo serviço não é oferecido e é cobrado da população como se funcionasse. Segundo Rafael, a empresa tem que  urgentemente fazer as ligações domiciliares, visando atingir o percentual de coleta e tratamento. Sem isso, afirmou deputado, a cobrança é ilegal. “A tarifa social precisa ser expandida urgentemente, nós temos números estratosféricos de pessoas na extrema pobreza na nossa cidade e que o serviço, o programa de tarifa social tem que ser ampliado para que essas pessoas possam ter acesso à água esgoto. Não é justo hoje o que está acontecendo na nossa cidade de Timon!”, finalizou. Por Nonato Castro, da Assessoria.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

De olho na interatividade com ouvinte, Rádio de Timon lança aplicativo, site e perfis em redes sociais

A Rádio Livre Fm 106.1 lança hoje, dia (28) uma série de novas plataformas para ampliar a interatividade com o público e disponibilizar a...

Estudante de jornalismo é encontrada desmaiada na UFPI e morre em hospital de Teresina

Uma estudante de jornalismo, de nome não revelado, morreu em um hospital de Teresina após ter sido encontrada desacordada nas dependências da Universidade Federal do...

Em café da manhã de trabalho, Timon e Caxias discutem duplicação da BR 316

Uilma Resende reuniu vereadores e representantes das duas cidades para discutir esse projeto, tendo em vista a nomeação de Cleiton Noleto para o DNIT-MA. Se...

A cobrança ilegal de serviços de esgotos ainda não executadas pela empresa Águas de Timon, foi apresentada na manhã da última quarta-feira (13) pelo deputado Rafael, na tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão. Mesmo com a inexistência das ligações domiciliares para coleta do esgoto, a tarifa vem sendo cobrada.

Rafael comentou sobre a inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto, inaugurada recentemente pela Águas de Timon, mas que ainda não está em operação pela falta de ligação em toda a cidade. Como exemplo, o deputado citou o esgoto que corre a céu aberto em algumas ruas do Centro de Timon. ““O serviço foi inaugurado num dia e no outro dia chegou a conta do mês inteiro como se a empresa tivesse prestado serviço de esgoto, o que não prestou e nem está prestando”, alertou o deputado Rafael.

Ainda em relação ao aumento apresentado, Rafael ressaltou que a lei aprovada, cobrando um aumento de 80% na tarifa de esgoto, é incompatível com a realidade da população timonense, que mora em uma cidade quente e não pode ter como mecanismo de cobrança a faixa de consumo, sendo mais justo a aferição ser por metros cúbicos e esta taxa aumente conforme a necessidade da população. “Outra situação importante de ser revista é a quantidade mínima de dez metros cúbicos. Este número é hoje insuficiente para atender as necessidades de uma família. Como alternativa, sugerimos o aumento do volume do metro cúbico por mês, para que possa ser cobrada a tarifa mínima de dez para quinze metros cúbicos, por exemplo, para que mais pessoas, mais famílias possam se adequar dentro do consumo mínimo”, apresentou o deputado.

O deputado finalizou afirmando não ser justo o que acontece hoje em Timon, cujo serviço não é oferecido e é cobrado da população como se funcionasse. Segundo Rafael, a empresa tem que  urgentemente fazer as ligações domiciliares, visando atingir o percentual de coleta e tratamento. Sem isso, afirmou deputado, a cobrança é ilegal. “A tarifa social precisa ser expandida urgentemente, nós temos números estratosféricos de pessoas na extrema pobreza na nossa cidade e que o serviço, o programa de tarifa social tem que ser ampliado para que essas pessoas possam ter acesso à água esgoto. Não é justo hoje o que está acontecendo na nossa cidade de Timon!”, finalizou. Por Nonato Castro, da Assessoria.