Ex-jogador Ronaldo faz Caminho de Santiago de Compostela com a esposa

spot_img
Compartilhe:

O ex-jogador brasileiro explicou que a peregrinação é para cumprir uma promessa que ele fez

Nesta quarta-feira, 8 de junho de 2022, o ex-jogador brasileiro Ronaldo Fenômeno deu início à etapa final do Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. Ao todo, ele e a mulher Celina Locks terão vencido 500 quilômetros. Admitindo estar sem preparo físico, eles utilizam bicicletas elétricas.

Em uma transmissão ao vivo, o ex-jogador revelou que a peregrinação é uma forma de cumprir uma promessa. Disse ele:

“Para celebrar o acesso direto do Valladolid, fiz uma promessa faz muito tempo, quando caímos, inclusive. Se voltássemos, faria o Caminho de Santiago de bicicleta. Não vou correndo, se não, nem chego (risos).”

Ronaldo é dono do time Valladolid, que subiu para a primeira divisão do futebol espanhol (LaLiga).

O ex-jogador também não descarta cumprir outra promessa caso o Cruzeiro, líder da série B do Brasileirão 2022, suba para a série A da competição. Ronaldo também é dono do time mineiro onde iniciou a carreira. Ele não revelou qual desafio cumprirá se o time conquistar o acesso à primeira divisão.

Redes sociais

Durante todo o percurso até Santiago de Compostela, o ex-jogador – que fez história em grandes times, como Cruzeiro, Corinthians, Real Madrid, Barcelona, Inter de Milão e a seleção brasileira – registrou cada etapa desta experiência de fé e publicou tudo no seu perfil no Instagram.

O que a Igreja diz sobre as promessas?

Mas, a final, o que a Igreja Católica nos diz sobre as promessas ou ex-votos?

Catecismo da Igreja Católica (§ 2101) diz:

“Por devoção pessoal, o cristão pode também prometer a Deus este ou aquele ato, oração, esmola, peregrinação etc. A fidelidade às promessas feitas a Deus é uma manifestação do respeito devido à Majestade divina e do amor para com o Deus fiel.”

De fato, as promessas são muito tradicionais e presentes na vida dos católicos. Constituem formas de agradecimento por um favor obtido. Mas, de acordo com o Pe. Reginaldo Manzotti, Deus não nos pede isso. “Deus não pede promessa. Somos nós que fazemos. Porque a aliança dele já foi estabelecida no Cristo. E essa é imutável. Deus não está pedido para você fazer promessa. Se fizer, cumpra”, explica o sacerdote.Ainda de acordo com o padre, promessa não é barganha, mas existe um sentido lógico nesta intenção:

“Há graças que devem ser somadas à oração e à penitência, atos de caridade. Então, é tão importante se recebê-la, que você faça certas mortificações, certos atos de caridade para a graça recebida…São Paulo cumpriu uma promessa e raspou a cabeça. Por isso, tem gente que pensa: se eu receber essa graça, quando eu receber, eu farei tal propósito. Não é para chantagear Deus, mas mostrar, reconhecer que aquilo que foi recebido não foi por seus méritos, mas por Deus.”

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Governador ministra aula de matemática durante abertura do ano letivo de 2023

Rafael Fonteles realizou, nesta segunda, dia 6, solenidade em Altos para marcar início das aulas da rede estadual de Educação. Para marcar o início...

Confira sete alimentos que promovem saciedade   

Nutricionista explica que escolher alimentos corretos traz saciedade e colabora com o emagrecimento saudável   Muitas pessoas iniciam o ano com o objetivo de adotar...

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

O ex-jogador brasileiro explicou que a peregrinação é para cumprir uma promessa que ele fez

Nesta quarta-feira, 8 de junho de 2022, o ex-jogador brasileiro Ronaldo Fenômeno deu início à etapa final do Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. Ao todo, ele e a mulher Celina Locks terão vencido 500 quilômetros. Admitindo estar sem preparo físico, eles utilizam bicicletas elétricas. Em uma transmissão ao vivo, o ex-jogador revelou que a peregrinação é uma forma de cumprir uma promessa. Disse ele: “Para celebrar o acesso direto do Valladolid, fiz uma promessa faz muito tempo, quando caímos, inclusive. Se voltássemos, faria o Caminho de Santiago de bicicleta. Não vou correndo, se não, nem chego (risos).” Ronaldo é dono do time Valladolid, que subiu para a primeira divisão do futebol espanhol (LaLiga). O ex-jogador também não descarta cumprir outra promessa caso o Cruzeiro, líder da série B do Brasileirão 2022, suba para a série A da competição. Ronaldo também é dono do time mineiro onde iniciou a carreira. Ele não revelou qual desafio cumprirá se o time conquistar o acesso à primeira divisão.

Redes sociais

Durante todo o percurso até Santiago de Compostela, o ex-jogador – que fez história em grandes times, como Cruzeiro, Corinthians, Real Madrid, Barcelona, Inter de Milão e a seleção brasileira – registrou cada etapa desta experiência de fé e publicou tudo no seu perfil no Instagram.

O que a Igreja diz sobre as promessas?

Mas, a final, o que a Igreja Católica nos diz sobre as promessas ou ex-votos? O Catecismo da Igreja Católica (§ 2101) diz: “Por devoção pessoal, o cristão pode também prometer a Deus este ou aquele ato, oração, esmola, peregrinação etc. A fidelidade às promessas feitas a Deus é uma manifestação do respeito devido à Majestade divina e do amor para com o Deus fiel.” De fato, as promessas são muito tradicionais e presentes na vida dos católicos. Constituem formas de agradecimento por um favor obtido. Mas, de acordo com o Pe. Reginaldo Manzotti, Deus não nos pede isso. “Deus não pede promessa. Somos nós que fazemos. Porque a aliança dele já foi estabelecida no Cristo. E essa é imutável. Deus não está pedido para você fazer promessa. Se fizer, cumpra”, explica o sacerdote.Ainda de acordo com o padre, promessa não é barganha, mas existe um sentido lógico nesta intenção: “Há graças que devem ser somadas à oração e à penitência, atos de caridade. Então, é tão importante se recebê-la, que você faça certas mortificações, certos atos de caridade para a graça recebida…São Paulo cumpriu uma promessa e raspou a cabeça. Por isso, tem gente que pensa: se eu receber essa graça, quando eu receber, eu farei tal propósito. Não é para chantagear Deus, mas mostrar, reconhecer que aquilo que foi recebido não foi por seus méritos, mas por Deus.”