IPMT: Inovações melhoram prestação de serviços para beneficiários em 2022

spot_img
Compartilhe:

Um ano de muito trabalho e de inovações com o intuito de agilizar os trabalhos e facilitar o acesso aos serviços pelos usuários. O Instituto de Previdência Municipal de Timon (IPMT) adotou novas tecnologias em 2022, como a implantação do site do instituto e do aplicativo Sistema Prev+, e expandiu os atendimentos do Projeto Viver.

O presidente do IPMT Lázaro Martins fala que os avanços tecnológicos foram essenciais para realizar a prova de vida de aposentados e pensionistas. “Foi um ano de desafios por estarmos aprendendo a conviver com a nova realidade trazida pela Covid19, mas que conseguimos atingir as metas estabelecidas pela prefeita Dinair Veloso para o IPMT. Já havíamos feito alguns recadastramentos por vídeo chamada para alguns beneficiários por conta da dificuldade de chegarem até a sede do IPMT. O aplicativo Sistema Prev+ permitiu que os aposentados e pensionistas que têm dificuldade de locomoção, que moram em outras cidades e Estados tivessem acesso mais facilmente ao recadastramento e também agilizasse o trabalho dos nossos técnicos. O site trouxe mais transparência ao nosso trabalho também e isso é muito importante para a população.” O IPMT continua disponibilizando uma equipe para ir à residência dos aposentados que não podem se deslocar por problemas de saúde.

E as ações não ficam apenas na concessão de aposentadorias e pensões. O IPMT também tem um projeto para melhoria da qualidade de vida dessas pessoas: o Projeto Viver, que tem o intuito de proporcionar assistência aos idosos e suas famílias. Hoje são mais de 200 aposentados e pensionistas do município assistidos pelo projeto que existe desde 2018, ofertando atendimento médico, psicológico, atividades esportivas, visitas domiciliares e ações lúdicas, como aulas de artesanato, aos aposentados e pensionistas cadastrados, bem como às suas famílias.

“O nosso diferencial é estender o auxílio também às famílias dos beneficiários cadastrados. Mas, trabalhamos, especialmente, com os idosos, porque é uma fase da vida em que eles se sentem mais sozinhos, muitas vezes, afastados do convívio com a família, enfrentando problemas de saúde e também estão ociosos.”, explica Anne Frank Sousa, assistente social do Projeto Viver.

“Quando chego ao Projeto Viver acaba toda a tristeza que a gente tem. É uma maravilha pra mim, me tornei outra pessoa depois do projeto. A gente brinca, dança, conversa, tenho mais coragem pra viver. Gosto muito de todo mundo que faz esse projeto pra nós”, comemora dona Francisca Freitas, aposentada que participa do Projeto Viver.

 

“O projeto surgiu durante a realização do recadastramento dos beneficiários no ano de 2018, naquele momento percebemos as muitas dificuldades de deslocamento e de receber determinados atendimentos. Ali surgiu a ideia do Projeto Viver. Decidimos os serviços prioritários para o público atendido e até hoje as atividades desenvolvidas vêm nos trazendo grandes resultados. E atendimentos só aumentam a cada dia… O que é motivo de grande alegria e orgulho para nós”, concluiu Lázaro Martins. Ccomtimon

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

De um milhão e 200 mil levados pelo funcionário do BB de Teresina, polícia só recuperou 41 mil

O funcionário alega estar passando por problemas psicológicos, mas cadê o dinheiro? Quanto ele subtraiu do banco? O bancário de 39 anos suspeito de furtar R$...

Confira quatro dicas para empreender em 2023

Por Elainy Castro Empreender é um sonho comum de muitos brasileiros. Esse é um caminho que pode trazer realização profissional e sucesso financeiro, além disso,...

No mesmo dia: Reeleitos, Lira e Pacheco rompem com Bolsonaro, mas deixam recado ao STF

Colunista do jornal "O Globo" avalia que o pior cenário para o Supremo seria a vitória de Rogério Marinho. Mas reeleição de Lira e...
Um ano de muito trabalho e de inovações com o intuito de agilizar os trabalhos e facilitar o acesso aos serviços pelos usuários. O Instituto de Previdência Municipal de Timon (IPMT) adotou novas tecnologias em 2022, como a implantação do site do instituto e do aplicativo Sistema Prev+, e expandiu os atendimentos do Projeto Viver. O presidente do IPMT Lázaro Martins fala que os avanços tecnológicos foram essenciais para realizar a prova de vida de aposentados e pensionistas. “Foi um ano de desafios por estarmos aprendendo a conviver com a nova realidade trazida pela Covid19, mas que conseguimos atingir as metas estabelecidas pela prefeita Dinair Veloso para o IPMT. Já havíamos feito alguns recadastramentos por vídeo chamada para alguns beneficiários por conta da dificuldade de chegarem até a sede do IPMT. O aplicativo Sistema Prev+ permitiu que os aposentados e pensionistas que têm dificuldade de locomoção, que moram em outras cidades e Estados tivessem acesso mais facilmente ao recadastramento e também agilizasse o trabalho dos nossos técnicos. O site trouxe mais transparência ao nosso trabalho também e isso é muito importante para a população.” O IPMT continua disponibilizando uma equipe para ir à residência dos aposentados que não podem se deslocar por problemas de saúde. E as ações não ficam apenas na concessão de aposentadorias e pensões. O IPMT também tem um projeto para melhoria da qualidade de vida dessas pessoas: o Projeto Viver, que tem o intuito de proporcionar assistência aos idosos e suas famílias. Hoje são mais de 200 aposentados e pensionistas do município assistidos pelo projeto que existe desde 2018, ofertando atendimento médico, psicológico, atividades esportivas, visitas domiciliares e ações lúdicas, como aulas de artesanato, aos aposentados e pensionistas cadastrados, bem como às suas famílias. “O nosso diferencial é estender o auxílio também às famílias dos beneficiários cadastrados. Mas, trabalhamos, especialmente, com os idosos, porque é uma fase da vida em que eles se sentem mais sozinhos, muitas vezes, afastados do convívio com a família, enfrentando problemas de saúde e também estão ociosos.”, explica Anne Frank Sousa, assistente social do Projeto Viver. “Quando chego ao Projeto Viver acaba toda a tristeza que a gente tem. É uma maravilha pra mim, me tornei outra pessoa depois do projeto. A gente brinca, dança, conversa, tenho mais coragem pra viver. Gosto muito de todo mundo que faz esse projeto pra nós”, comemora dona Francisca Freitas, aposentada que participa do Projeto Viver.   “O projeto surgiu durante a realização do recadastramento dos beneficiários no ano de 2018, naquele momento percebemos as muitas dificuldades de deslocamento e de receber determinados atendimentos. Ali surgiu a ideia do Projeto Viver. Decidimos os serviços prioritários para o público atendido e até hoje as atividades desenvolvidas vêm nos trazendo grandes resultados. E atendimentos só aumentam a cada dia… O que é motivo de grande alegria e orgulho para nós”, concluiu Lázaro Martins. Ccomtimon