spot_img
spot_img

MA registra queda na mortalidade por aids: apesar da melhora nos números, ainda é importante prevenir

spot_img
Compartilhe:

Por Elainy Castro

As mortes por aids caíram no Maranhão nos últimos dez anos. De acordo com o Ministério da Saúde, a cada 100 mil habitantes, 5,2 iam a óbito por conta da doença há dez anos, quantitativo que caiu para 4,8, totalizando 7,6% de redução. O Boletim Epidemiológico sobre HIV/aids apresentado pelo órgão público também aponta taxa de detecção da doença no estado de 18,5 casos por 100 mil habitantes. São Luís detectou 38 casos.

A infectologista do Hapvida NotreDame Intermédica, Priscila Merlos, explica que a queda no número de óbitos se dá pela política de saúde do Brasil, que é referência mundial em acessibilidade e qualidade dos medicamentos, entre outras características.

“Qualquer pessoa que seja portadora do vírus HIV no país tem direito a fazer todo o tratamento, incluindo exames e obtenção de remédios, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Esses fatores permitiram que o Brasil aumentasse o número de pacientes que são tratados de forma adequada. Sabemos que, quando há o procedimento correto, estende-se a expectativa de vida do indivíduo”, afirma.

PREVENIR É UM IMPERATIVO

Apesar da queda nos índices de morte, a prevenção continua sendo um imperativo para evitar novos casos da doença causada pela infecção do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), que ataca o sistema imunológico.

Priscila destaca que o sexo seguro é a melhor forma de evitar o contágio. O uso de preservativo, além de proteger em relação ao contágio da aids, evita ainda outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), que podem ser causadas não só por vírus mas por outros microrganismos.

“Eu costumo falar que todo mundo que tem uma relação sexual está suscetível à contaminação pelo vírus HIV, tendo em vista que a transmissão se dá, de maneira geral, pela atividade sexual desprotegida. A orientação é que o indivíduo não se exponha de forma inadequada, sempre use camisinha, inclusive na relação oral”, indica.

Outras formas de prevenção são: a utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais.

Compartilhe:
spot_img

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Equatorial Maranhão alerta sobre cuidados com cabos partidos, estejam pendurados ou ao solo

Acidentes com quebras de postes e chuvas intensas com rajadas de vento podem causar o rompimento de cabos de energia A Equatorial Maranhão tem como...

Muito além da estética, circunferência abdominal pode ser um sinal de alerta à saúde

Excesso de gordura abdominal traz riscos de doenças crônicas, que aumentam em casos de mulheres com cintura acima de 88cm, segundo a OMS Por Juliana...

Do grão à xícara: Cafeteria é novidade em loja do Renascença

Por Juliana Castelo Hora do cafezinho! A bebida mais popular no dia a dia do brasileiro tem até mês para comemorar. O calendário tem...