MDB de Timon fará convenção neste domingo para renovar diretório. Socorro deverá assumir partido

spot_img
Compartilhe:

O MDB de Timon, partido que de 2005 a 2012 comandou os destinos de Timon ainda com sua antiga sigla, PMDB, realizará no próximo domingo, 25, convenção para renovar seu diretório municipal. O evento acontecerá no plenário da Câmara de Timon, das 9 às 12hs e todos os filiados estão sendo convocados através de edital e formalidades legais e partidárias.

O blogdoribinha adianta que a ex-prefeita Socorro Waquim e atual vereadora do partido deverá assumir a presidência do MDB, em substituição ao marido, ex-deputado federal Sétimo Waquim, nisso o partido não muda e continua com as soluções caseiras, mas existe, de conversas extraídas com dirigentes, filiados e os novos diretores e delegados, a palavra de ordem “reinventar”.

Como o partido poderá ser “reinventado” diante do quadro de derrotas que vem acumulando desde 2012, quando, pelo voto, no poder perdeu o direito de se manter.

De 2012 para cá, o MDB tem sido uma espécie de “saco de pancadas” de seus principais opositores. É claro que o partido se mantém como o maior grupo de oposição no município, mas sem vitórias que o coloque na verdadeira situação de confronto direto com o governo municipal.

Em 2014, o partido, fez uma dobradinha mal sucedida que acabou levando à derrota seus principais ícones em Timon: O Professor Sétimo, candidato à reeleição na época a deputado federal e Professora Socorro a estadual. Foi um desastre geral, inclusive, com a perda de cargos em nível estadual, pra piorar a derrota.

Em 2016, o MDB perdeu a condição de protagonista dos embates eleitorais em Timon e indicou Ulysses Waquim como candidato a vice-prefeito na chapa de Alexandre Almeida, depois da “decisão forçada” de desistência da candidata do partido a ex-prefeita Socorro Waquim. Nova derrota, menos traumática e amenizada com a vitória da ex-prefeita como vereadora da cidade, mas com um custo alto para o partido, que se dividiu muito e ainda hoje sofre com as sequelas políticas, embora tenha sido a melhor decisão do partido naquele momento.

Em 2018, nas eleições deste ano, novas derrotas. O partido não conseguiu seu maior objetivo que era o de eleger Socorro Waquim deputada estadual, ficou na primeira suplência com pouco mais de 19 mil votos 16 mil deles conquistas em Timon.

O processo de reinvenção do partido como citam líderes e liderados, não deverá passar somente pela cabeça de uma só pessoa, mas pelo conjunto. O MDB de Timon precisa acabar com as soluções imediatistas e provocar um grande debate. Novos nomes despontam, mas o partido tem se apegado os mesmos.

Que Socorro Waquim é e continua sendo a grande líder do partido em termos eleitorais, isso ninguém duvida, mas o reinventar pode acontecer com renovação, principalmente de seus quadros e filiados.

O partido tem e possui quadros capazes dessa reinvenção, mas que precisam de oportunidades. Um dos nomes que circulou muito bem entre os filiados, simpatizantes e eleitores foi o da advogada Amanda Waquim, que frequentou muito bem o cenário político dos bastidores da última campanha eleitoral e sempre foi bem vista em todos os cenários nas eleições passadas.

Socorro Waquim tem a capacidade de se reinventar, de renovar como prega o partido em Timon e em nível nacional, mas é preciso lançar mão também de novas e boas alternativas eleitorais para Timon e para o Maranhão.

O povo de Timon sabe como ninguém da capacidade aglutinadora da ex-prefeita, de sua liderança política, de sua capacidade de fazer acontecer, mas o partido tem a necessidade de se renovar de apresentar novos quadros e isso só acontece com a adoção de novas estratégias eleitorais, pois as que foram apresentadas até então não estão dando efeito e o resultado eleitoral para o partido.

Sob a direção de Socorro Waquim, a partir de então, o MDB precisa se organizar, planejar para participar da vida política da cidade como oposição, lugar que sempre atuou com inteligência e altivez, mas que está relegado a outros planos. Socorro precisa dar autenticidade a esse papel do partido, ocupar os espaços e somar com os demais partidos que buscam alternativas para a cidade de Timon, que vive um marasmo administrativo, com salários atrasados, obras paralisadas, com inúmeras denúncias de corrupção que assolam o governo. Portanto, esse é o melhor momento para o partido se reinventar e agora com dois anos antes da eleição e não aguardar que o tempo passe para iniciar esse processo em seis meses antes do pleito.

Se for assim, o MDB vai amargar novas derrotas!

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

Aulas na Rede Estadual iniciam nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão

Nesta segunda-feira (6), estudantes da Rede Estadual nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão retornaram às salas de aula. Para fortalecer as estratégias...

Projeto de Lei do deputado Rafael assegura acesso a medicamentos à base de canabidiol e similares

O Projeto de Lei 01/2023, de autoria do deputado Rafael, assegura o acesso a medicamentos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) “às...
O MDB de Timon, partido que de 2005 a 2012 comandou os destinos de Timon ainda com sua antiga sigla, PMDB, realizará no próximo domingo, 25, convenção para renovar seu diretório municipal. O evento acontecerá no plenário da Câmara de Timon, das 9 às 12hs e todos os filiados estão sendo convocados através de edital e formalidades legais e partidárias. O blogdoribinha adianta que a ex-prefeita Socorro Waquim e atual vereadora do partido deverá assumir a presidência do MDB, em substituição ao marido, ex-deputado federal Sétimo Waquim, nisso o partido não muda e continua com as soluções caseiras, mas existe, de conversas extraídas com dirigentes, filiados e os novos diretores e delegados, a palavra de ordem “reinventar”. Como o partido poderá ser “reinventado” diante do quadro de derrotas que vem acumulando desde 2012, quando, pelo voto, no poder perdeu o direito de se manter. De 2012 para cá, o MDB tem sido uma espécie de “saco de pancadas” de seus principais opositores. É claro que o partido se mantém como o maior grupo de oposição no município, mas sem vitórias que o coloque na verdadeira situação de confronto direto com o governo municipal. Em 2014, o partido, fez uma dobradinha mal sucedida que acabou levando à derrota seus principais ícones em Timon: O Professor Sétimo, candidato à reeleição na época a deputado federal e Professora Socorro a estadual. Foi um desastre geral, inclusive, com a perda de cargos em nível estadual, pra piorar a derrota.

Em 2016, o MDB perdeu a condição de protagonista dos embates eleitorais em Timon e indicou Ulysses Waquim como candidato a vice-prefeito na chapa de Alexandre Almeida, depois da “decisão forçada” de desistência da candidata do partido a ex-prefeita Socorro Waquim. Nova derrota, menos traumática e amenizada com a vitória da ex-prefeita como vereadora da cidade, mas com um custo alto para o partido, que se dividiu muito e ainda hoje sofre com as sequelas políticas, embora tenha sido a melhor decisão do partido naquele momento.

Em 2018, nas eleições deste ano, novas derrotas. O partido não conseguiu seu maior objetivo que era o de eleger Socorro Waquim deputada estadual, ficou na primeira suplência com pouco mais de 19 mil votos 16 mil deles conquistas em Timon. O processo de reinvenção do partido como citam líderes e liderados, não deverá passar somente pela cabeça de uma só pessoa, mas pelo conjunto. O MDB de Timon precisa acabar com as soluções imediatistas e provocar um grande debate. Novos nomes despontam, mas o partido tem se apegado os mesmos. Que Socorro Waquim é e continua sendo a grande líder do partido em termos eleitorais, isso ninguém duvida, mas o reinventar pode acontecer com renovação, principalmente de seus quadros e filiados. O partido tem e possui quadros capazes dessa reinvenção, mas que precisam de oportunidades. Um dos nomes que circulou muito bem entre os filiados, simpatizantes e eleitores foi o da advogada Amanda Waquim, que frequentou muito bem o cenário político dos bastidores da última campanha eleitoral e sempre foi bem vista em todos os cenários nas eleições passadas. Socorro Waquim tem a capacidade de se reinventar, de renovar como prega o partido em Timon e em nível nacional, mas é preciso lançar mão também de novas e boas alternativas eleitorais para Timon e para o Maranhão. O povo de Timon sabe como ninguém da capacidade aglutinadora da ex-prefeita, de sua liderança política, de sua capacidade de fazer acontecer, mas o partido tem a necessidade de se renovar de apresentar novos quadros e isso só acontece com a adoção de novas estratégias eleitorais, pois as que foram apresentadas até então não estão dando efeito e o resultado eleitoral para o partido. Sob a direção de Socorro Waquim, a partir de então, o MDB precisa se organizar, planejar para participar da vida política da cidade como oposição, lugar que sempre atuou com inteligência e altivez, mas que está relegado a outros planos. Socorro precisa dar autenticidade a esse papel do partido, ocupar os espaços e somar com os demais partidos que buscam alternativas para a cidade de Timon, que vive um marasmo administrativo, com salários atrasados, obras paralisadas, com inúmeras denúncias de corrupção que assolam o governo. Portanto, esse é o melhor momento para o partido se reinventar e agora com dois anos antes da eleição e não aguardar que o tempo passe para iniciar esse processo em seis meses antes do pleito. Se for assim, o MDB vai amargar novas derrotas!