OAB-PI sugere grupo para avaliação de dados do CNJ sobre produtividade da Justiça Piauiense

spot_img
Compartilhe:

Visando uma melhor prestação jurisdicional, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, enviou ofícios, na última segunda-feira (07), à Presidência do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) e para a Corregedoria Geral de Justiça, solicitando a criação de um grupo de trabalho para avaliar os números e dados contidos nos relatórios do CNJ acerca da produtividade do Poder Judiciário Estadual.

O Presidente da OAB Piauí, Celso Barros Coelho Neto, explica que após a análise inicial, o Grupo terá por missão elaborar propostas de medidas com vistas à melhoria dos índices da Justiça estadual no Piauí, em especial, o de produtividade. “Precisamos atuar em conjunto e lutar por uma Justiça mais célere. Por isso, a Seccional Piauí se coloca à disposição para auxiliar no que for necessário”, disse.

Para a OAB, a ideia é que o Grupo tenha uma composição plural e democrática. É o que destaca o Diretor-Tesoureiro e Presidente da Comissão de Relação com o Poder Judiciário da Seccional Piauí, Einstein Sepúlveda.

“Estamos sugerindo que o grupo seja formado com um representante do TJ, que o coordenará, com a participação de juízes de primeiro grau, da OAB Piauí, da Associação dos Magistrados Piauienses (AMAPI), do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública Estadual e do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Piauí (SINDSJUS/PI). Sempre com o objetivo de estarmos acompanhando de perto esses dados e que o TJ busque soluções efetivas para solucionar esse grave problema que afeta toda a Advocacia e a sociedade”, finaliza.

Confira os ofícios na íntegra

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Senhor dos Anéis: Moraes manda “CNN”, “Veja” e “GNews” quebrarem sigilo da fonte jornalística

O ministro quer quer o conteúdo das entrevistas com Marcos do Val sejam comparados ao depoimento dele à PF Os três veículos de imprensa...

Proposta de “oposição unida” em Timon terá que enfrentar o primeiro obstáculo: cargos

Nomeações para cargos em Timon deverá ser o primeiro desafio da proposta de união da oposição a começar pelos aliados do governador. Muito embora tenham...

Tudo o que os governistas de Timon não queriam, poderá acontecer em 2024. Oposição trabalha pela união

Oposição de Timon, realizou em São Luiz, ontem, a primeira reunião para tratar da união do grupo e vencer as eleições em 2024. Em reunião,...
Visando uma melhor prestação jurisdicional, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, enviou ofícios, na última segunda-feira (07), à Presidência do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) e para a Corregedoria Geral de Justiça, solicitando a criação de um grupo de trabalho para avaliar os números e dados contidos nos relatórios do CNJ acerca da produtividade do Poder Judiciário Estadual. O Presidente da OAB Piauí, Celso Barros Coelho Neto, explica que após a análise inicial, o Grupo terá por missão elaborar propostas de medidas com vistas à melhoria dos índices da Justiça estadual no Piauí, em especial, o de produtividade. “Precisamos atuar em conjunto e lutar por uma Justiça mais célere. Por isso, a Seccional Piauí se coloca à disposição para auxiliar no que for necessário”, disse. Para a OAB, a ideia é que o Grupo tenha uma composição plural e democrática. É o que destaca o Diretor-Tesoureiro e Presidente da Comissão de Relação com o Poder Judiciário da Seccional Piauí, Einstein Sepúlveda. “Estamos sugerindo que o grupo seja formado com um representante do TJ, que o coordenará, com a participação de juízes de primeiro grau, da OAB Piauí, da Associação dos Magistrados Piauienses (AMAPI), do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública Estadual e do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Piauí (SINDSJUS/PI). Sempre com o objetivo de estarmos acompanhando de perto esses dados e que o TJ busque soluções efetivas para solucionar esse grave problema que afeta toda a Advocacia e a sociedade”, finaliza. Confira os ofícios na íntegra