Por elas e para elas: conheça a transformação que o saneamento permitirá na vida de mulheres timonenses

spot_img
Compartilhe:

“Na casa da gente tem água de qualidade chegando e com regularidade. E hoje, olhamos com muita expectativa a chegada da coleta e tratamento de esgoto, que poderá auxiliar na melhoria de vida das crianças, jovens e idosos da minha cidade. Para termos ruas mais limpas, sem esgoto a céu aberto, dando a oportunidade paras as mulheres timonenses, como eu, ter mais saúde para estudar, empreender e conseguir renda em um cenário difícil, em que muitas que conheço criam seus filhos sozinhas ou precisam sustentar toda a família.”

O relato é da jovem Diana Paula Leal, 25 anos, moradora e líder comunitária do São Benedito, onde vive há mais de 5 anos. O bairro é uma das localidades beneficiadas atualmente com a implantação de rede de esgoto do programa Timon Saneada 2, implementado pela Águas de Timon desde o ano passado. Com a implantação e recuperação de rede de esgoto, a construção de uma elevatória e de uma estação de tratamento de esgoto, Timon saltará de 3% para 33% a cobertura de esgotamento sanitário ainda este ano, tornando-se referência no Maranhão.

Após a universalização do acesso à água, conquistada em 2016, o município de Timon vivencia o desafio de universalizar o acesso da população ao esgotamento sanitário, mudando para melhor as perspectivas de saúde, de educação, de geração de renda, de produtividade e de bem-estar das mulheres do município – muitas delas, chefes de família. A universalização da cobertura está prevista para 2026, com investimento total na ordem de R$ 168 milhões feito pela Águas de Timon.

“A universalização do esgotamento sanitário cria um futuro de oportunidades para a cidade, que tem para além do acesso à água de qualidade, a oportunidade de deixar de ter esgoto a céu aberto, de reduzir gastos com saúde pública, tendo a coleta e o tratamento correto do esgoto. O saneamento adequado se desdobra em vários efeitos positivos para a vida das mulheres, seja na saúde, no incremento de renda e na educação dos filhos”, destaca Nayara Dumont, coordenadora de Engenharia da Águas de Timon.

Pesquisa revela os desafios do saneamento para a qualidade de vida da mulher brasileira

Seguindo um caminho contrário ao de Timon, que ampliará exponencialmente sua cobertura de esgotamento sanitário, o restante do país tem à frente grandes desafios atrelados ao saneamento básico e as transformações que isso potencializa, seja na saúde, na educação, na qualidade de vida, afetando diretamente a rotina de vida da mulher brasileira. Estudo elaborado pelo Instituto Trata Brasil aponta que 27 milhões de mulheres não têm acesso adequado à infraestrutura sanitária e o saneamento. Isso representa um impacto de uma em cada quatro mulheres no país.

Segundo o estudo, intitulado “O Saneamento e a Vida da Mulher Brasileira”, no Brasil, o número de mulheres que vivem em casas sem coleta de esgoto saltou de 26,9 milhões para 41,4 milhões entre 2016 e 2019. No mesmo intervalo, a população feminina prejudicada pela falta de água tratada cresceu de 15,2 milhões para 15,8 milhões. Já o índice de mulheres sem banheiro em casa aumentou de 1,6 milhão para 2,5 milhões.

Informe publicitário.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Deputado Rafael anuncia funcionamento de restaurante popular com almoço e janta a 1 Real, em Timon

"Com as obras em ritmo acelerado, o Restaurante Popular de Timon será entregue à população, nos próximos dias. Fruto da nossa articulação com o...

Deputado Paulo Marinho Júnior destaca visita ao Reitor da UFMA, Natalino Salgado

Na última quarta-feira (29), o Deputado Federal Paulo Marinho Júnior (PL-MA), usou a tribuna para destacar a sua visita ao Reitor da Universidade Federal...

Águas de Timon inaugura Estação de Tratamento de Esgoto nesta terça (05)

Timon avança em saneamento e em breve deve se tornar uma das cidades mais saneadas do país. A Águas de Timon inaugura na próxima...
“Na casa da gente tem água de qualidade chegando e com regularidade. E hoje, olhamos com muita expectativa a chegada da coleta e tratamento de esgoto, que poderá auxiliar na melhoria de vida das crianças, jovens e idosos da minha cidade. Para termos ruas mais limpas, sem esgoto a céu aberto, dando a oportunidade paras as mulheres timonenses, como eu, ter mais saúde para estudar, empreender e conseguir renda em um cenário difícil, em que muitas que conheço criam seus filhos sozinhas ou precisam sustentar toda a família.” O relato é da jovem Diana Paula Leal, 25 anos, moradora e líder comunitária do São Benedito, onde vive há mais de 5 anos. O bairro é uma das localidades beneficiadas atualmente com a implantação de rede de esgoto do programa Timon Saneada 2, implementado pela Águas de Timon desde o ano passado. Com a implantação e recuperação de rede de esgoto, a construção de uma elevatória e de uma estação de tratamento de esgoto, Timon saltará de 3% para 33% a cobertura de esgotamento sanitário ainda este ano, tornando-se referência no Maranhão. Após a universalização do acesso à água, conquistada em 2016, o município de Timon vivencia o desafio de universalizar o acesso da população ao esgotamento sanitário, mudando para melhor as perspectivas de saúde, de educação, de geração de renda, de produtividade e de bem-estar das mulheres do município – muitas delas, chefes de família. A universalização da cobertura está prevista para 2026, com investimento total na ordem de R$ 168 milhões feito pela Águas de Timon. “A universalização do esgotamento sanitário cria um futuro de oportunidades para a cidade, que tem para além do acesso à água de qualidade, a oportunidade de deixar de ter esgoto a céu aberto, de reduzir gastos com saúde pública, tendo a coleta e o tratamento correto do esgoto. O saneamento adequado se desdobra em vários efeitos positivos para a vida das mulheres, seja na saúde, no incremento de renda e na educação dos filhos”, destaca Nayara Dumont, coordenadora de Engenharia da Águas de Timon. Pesquisa revela os desafios do saneamento para a qualidade de vida da mulher brasileira Seguindo um caminho contrário ao de Timon, que ampliará exponencialmente sua cobertura de esgotamento sanitário, o restante do país tem à frente grandes desafios atrelados ao saneamento básico e as transformações que isso potencializa, seja na saúde, na educação, na qualidade de vida, afetando diretamente a rotina de vida da mulher brasileira. Estudo elaborado pelo Instituto Trata Brasil aponta que 27 milhões de mulheres não têm acesso adequado à infraestrutura sanitária e o saneamento. Isso representa um impacto de uma em cada quatro mulheres no país. Segundo o estudo, intitulado “O Saneamento e a Vida da Mulher Brasileira”, no Brasil, o número de mulheres que vivem em casas sem coleta de esgoto saltou de 26,9 milhões para 41,4 milhões entre 2016 e 2019. No mesmo intervalo, a população feminina prejudicada pela falta de água tratada cresceu de 15,2 milhões para 15,8 milhões. Já o índice de mulheres sem banheiro em casa aumentou de 1,6 milhão para 2,5 milhões. Informe publicitário.