spot_img
spot_img

Quedas são responsáveis por 25% dos casos de hospitalização de idosos

spot_img
Compartilhe:
Helayne Moura- enfermeira e coordenadora de atenção primária da Hapvida NotreDame Intermédica
Especialista dá dicas para prevenir acidentes e lesões

Por Elainy Castro

Os ossos e músculos não são mais os mesmos. A postura e o caminhar não são mais tão firmes. O resultado é o aumento do risco de queda, que representa, hoje, uma das principais causas de lesões em pessoas idosas. O Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into) aponta que, anualmente, 40% dos brasileiros com mais de 80 anos sofrem algum tipo de tombo. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 25% dos casos de idosos que dão entrada em unidades de saúde todos os anos têm a ver com lesões e fraturas em decorrência de acidentes similares.

Embora seja uma ocorrência frequente, pode ser evitada na maior parte dos casos. A enfermeira e coordenadora de atenção primária da Hapvida NotreDame Intermédica, Helayne Moura, explica que algumas atividades e comportamentos podem ser considerados arriscados. Ambientes não preparados e patologias preexistentes também são fatores de risco.

A profissional pontua que doenças como artrose, artrite, osteoporose, demências, Alzheimer e Parkinson, consideradas comuns com a chegada da velhice, podem ser agravantes que facilitam as quedas, já que desgastam as articulações, enfraquecem os ossos, geram desequilíbrio, afetam a movimentação e causam degeneração de tecidos. Hipertensão, diabetes e problemas que atingem a visão periférica também são complicadores.

Como prevenir?

Helayne Moura elucida, ainda, que as quedas podem ser evitadas com atitudes simples, como manter o ambiente bem iluminado para que o idoso visualize todos os objetos ao seu redor. “Outra dica é usar calçados confortáveis e fechados, evitando chinelos e sapatos abertos”, completa.

Pela casa, evite que os fios fiquem à vista, por onde o idoso transita. Tapetes escorregadios devem ser retirados e eventuais líquidos ou gorduras em superfícies precisam ser limpos imediatamente.

No banheiro, local onde ocorrem constantes e graves acidentes, o ideal é ter barras fixas que assegurem estabilidade para evitar problemas, a exemplo de traumatismos crânioencefálicos.

“O risco da queda nos banheiros é bater a cabeça e ter grandes complicações. A orientação é que os idosos tenham o máximo de acessibilidade possível, trocando escadas por rampas de acesso, por exemplo. Qualquer dúvida, procure o seu médico e o serviço de saúde”, orienta.

Compartilhe:
spot_img

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Igreja de Santo Antônio em Timon apresenta projeto de reforma

Um projeto arquitetônico, arrojado e de muito bom gosto vem agradando fiéis da Igreja de Santo Antônio e todos religiosos da crença católica, em...

Estourou tudo: Prefeita Dinar não pode mais empregar e nem pagar horas extras graciosas

Apesar da medida, a prefeita, ao se tem notícia anda prometendo empregos. A prefeita de Timon (MA), Dinair Veloso, em decisão do Ministério Público do...

Hospital Alarico Pacheco ganha mais um Selo por sua qualidade de gestão e desempenho

Profissionais comemoram mais um selo de qualidade para conta!!! O Hospital Regional Alarico Pacheco recebeu essa semana o Selo de Gestão de Indicadores de Qualidade...