Teresina registra 228 casos confirmados de Covid-19

spot_img
Compartilhe:

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) registrou em seu sistema a morte de mais uma pessoa vítima da Covid-19 em Teresina na última terça-feira (10). Houve ainda 228 novos casos confirmados da doença. Desde o início da pandemia, no mês de março, até agora, a capital piauiense contabiliza o total de 1.124 óbitos. Os dados apontam ainda 39.732 infectados pelo novo coronavírus e 15.276 recuperados da Covid-19. O óbito registrado data de 09/11 e foi de um homem com 69 anos, morador do bairro Santa Fé. Ele era hipertenso e tabagista.

“Temos observado uma diminuição significativa no número de casos de Covid-19 na cidade. O que revela uma situação importante e uma boa notícia. Entretanto, pedimos que a população mantenha todos os hábitos de higiene e de distanciamento que temos adotado na pandemia. Temos pedido utilização de máscara, lavagem constante das mãos e o distanciamento social, para que continue a estabilidade no número de casos, diminuição de internações e, consequentemente, a diminuição de óbitos”, afirma Walfrido Salmito, médico coordenador do COE.

A FMS mantém, durante toda a pandemia da Covid-19, um grupo de profissionais que monitoram a doença na cidade. Eles compõem o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE). São nove médicos, dez enfermeiros e seis analistas de sistema, que mantém os dados e análises dos casos sempre atualizados.

Os dados do COE apontam que 54,89% das mortes por Covid-19 na capital são de homens e 82,21% das pessoas que vieram a óbitos possuíam algum tipo de comorbidade

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Três dicas para evitar o estresse na hora de encarar o trânsito

Por Elainy Castro Buzinas, xingamentos, motoristas imprudentes, muita gente nos horários de pico, pedestres que atravessam fora da faixa, acidentes… isso e muito mais você...

Em prestigiada reunião, Cláudia Coutinho diz que será deputada para ajudar Timon e o Maranhão

Em prestigiadíssima reunião política, ontem no Mabelu Buffett, em Timon patrocinada pelo vereador Helber Guimarães e seu grupo de apoiadores e aliados na cidade,...

Equatorial Maranhão divulga o Plano Operacional para as Eleições 2022

O plano mobiliza mais de 1.300 profissionais e traz as ações estruturadas para máxima continuidade do fornecimento de energia no dia das eleições. A Equatorial...
A Fundação Municipal de Saúde (FMS) registrou em seu sistema a morte de mais uma pessoa vítima da Covid-19 em Teresina na última terça-feira (10). Houve ainda 228 novos casos confirmados da doença. Desde o início da pandemia, no mês de março, até agora, a capital piauiense contabiliza o total de 1.124 óbitos. Os dados apontam ainda 39.732 infectados pelo novo coronavírus e 15.276 recuperados da Covid-19. O óbito registrado data de 09/11 e foi de um homem com 69 anos, morador do bairro Santa Fé. Ele era hipertenso e tabagista. “Temos observado uma diminuição significativa no número de casos de Covid-19 na cidade. O que revela uma situação importante e uma boa notícia. Entretanto, pedimos que a população mantenha todos os hábitos de higiene e de distanciamento que temos adotado na pandemia. Temos pedido utilização de máscara, lavagem constante das mãos e o distanciamento social, para que continue a estabilidade no número de casos, diminuição de internações e, consequentemente, a diminuição de óbitos”, afirma Walfrido Salmito, médico coordenador do COE. A FMS mantém, durante toda a pandemia da Covid-19, um grupo de profissionais que monitoram a doença na cidade. Eles compõem o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE). São nove médicos, dez enfermeiros e seis analistas de sistema, que mantém os dados e análises dos casos sempre atualizados. Os dados do COE apontam que 54,89% das mortes por Covid-19 na capital são de homens e 82,21% das pessoas que vieram a óbitos possuíam algum tipo de comorbidade