Timon City terá bilhetagem eletrônica para atender passageiros, garante acordo entre MP e Cimu

spot_img
Compartilhe:

O diretor do Consórcio Intermunicipal de Mobilidade Urbana (CIMU), Saney Sampaio, e o promotor Eduardo Borges Oliveira, titular da 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Timon, se reuniram, na última sexta-feira (19), para discutir melhorias para o transporte público municipal.

Saney Sampaio informou ao Ministério Público quais providências estão sendo adotadas pelo CIMU para  resolver a problemática do transporte coletivo, que se agravou no último dia 17 de janeiro, quando a empresa Dois Irmãos decidiu suspender as atividades de forma repentina.

“Solicitamos essa reunião com o Ministério Público para informar ao promotor tudo que aconteceu a partir da saída da Dois Irmãos e destacar todos os esforços que o CIMU tem colocado em prática, para resolver o problema e minimizar o prejuízo aos usuários”, disse Saney.

Entre as providências adotadas pelo CIMU, estão a notificação imediata da empresa  que desistiu de operar e a transferência emergencial de todas as linhas operadas pela  Dois Irmãos para a Timon City,  após orientação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Também foram apresentados ao Ministério Público os detalhes do processo licitatório que está sendo elaborado para a contratação de uma ou mais empresas para operarem em Timon.

O Plano Geral de Outorgas será enviado para Brasília, para aprovação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT),  ministérios e Tribunal de Contas da União (TCU) até o dia 22 de março. Sendo aprovado, audiências públicas serão realizadas com usuários,  trabalhadores e empresários do setor. Após a conclusão destas etapas é que o edital será lançado.

O novo sistema de transporte público terá  bilhetagem eletrônica,  ampliação de linhas e  direito à gratuidade. Os ônibus também devem ser monitorados por sistema de georreferenciamento, com isso os itinerários   serão acompanhados por aplicativo tanto por usuários como pela fiscalização.

“Está sendo feita a atualização de um estudo de demandas ,para definir a quantidade de usuários do transporte público,  onde estão esses passageiros e para onde eles irão. Em cima da quantidade dos mesmos , o custo da operação”, adianta Saney.

O promotor Eduardo Borges reconheceu o esforço do CIMU  em adotar providências para  solucionar a problemática.

“Resolver um problema não é um passe de mágica. Resolver um problema às vezes é estabelecer uma formalidade, no sentido de resolver as questões”, disse o promotor, afirmando ainda que é importante perceber a “movimentação estatal”.

 

O CIMU e Ministério Público firmaram compromisso de continuar realizando reuniões periódicas para debater a situação do sistema de transporte coletivo de Timon.

da Assessoria.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Lula diz que Gleisi não será ministra e que só anuncia equipe após ser diplomado pelo TSE

Presidente eleito deu declarações onde atua equipe de transição; diplomação no TSE está marcada para 12 de dezembro. Lula disse que '80%' do ministério...

Promotor recomenda suspensão do show de João Gomes em Timon

Além do alto custo com contrato do cantor para os cofres do município, o promotor Sérgio Martins diz que a festa põe em risco...

Após 23 anos, médica Amariles Borba pede exoneração da FMS

A médica Amariles de Sousa Borba pediu exoneração da Fundação Municipal de Saúde (FMS), onde atuava há 23 anos e, atualmente, ocupava o cargo...

O diretor do Consórcio Intermunicipal de Mobilidade Urbana (CIMU), Saney Sampaio, e o promotor Eduardo Borges Oliveira, titular da 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Timon, se reuniram, na última sexta-feira (19), para discutir melhorias para o transporte público municipal. Saney Sampaio informou ao Ministério Público quais providências estão sendo adotadas pelo CIMU para  resolver a problemática do transporte coletivo, que se agravou no último dia 17 de janeiro, quando a empresa Dois Irmãos decidiu suspender as atividades de forma repentina.
“Solicitamos essa reunião com o Ministério Público para informar ao promotor tudo que aconteceu a partir da saída da Dois Irmãos e destacar todos os esforços que o CIMU tem colocado em prática, para resolver o problema e minimizar o prejuízo aos usuários”, disse Saney.
Entre as providências adotadas pelo CIMU, estão a notificação imediata da empresa  que desistiu de operar e a transferência emergencial de todas as linhas operadas pela  Dois Irmãos para a Timon City,  após orientação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Também foram apresentados ao Ministério Público os detalhes do processo licitatório que está sendo elaborado para a contratação de uma ou mais empresas para operarem em Timon. O Plano Geral de Outorgas será enviado para Brasília, para aprovação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT),  ministérios e Tribunal de Contas da União (TCU) até o dia 22 de março. Sendo aprovado, audiências públicas serão realizadas com usuários,  trabalhadores e empresários do setor. Após a conclusão destas etapas é que o edital será lançado. O novo sistema de transporte público terá  bilhetagem eletrônica,  ampliação de linhas e  direito à gratuidade. Os ônibus também devem ser monitorados por sistema de georreferenciamento, com isso os itinerários   serão acompanhados por aplicativo tanto por usuários como pela fiscalização. “Está sendo feita a atualização de um estudo de demandas ,para definir a quantidade de usuários do transporte público,  onde estão esses passageiros e para onde eles irão. Em cima da quantidade dos mesmos , o custo da operação”, adianta Saney. O promotor Eduardo Borges reconheceu o esforço do CIMU  em adotar providências para  solucionar a problemática.
“Resolver um problema não é um passe de mágica. Resolver um problema às vezes é estabelecer uma formalidade, no sentido de resolver as questões”, disse o promotor, afirmando ainda que é importante perceber a “movimentação estatal”.  
O CIMU e Ministério Público firmaram compromisso de continuar realizando reuniões periódicas para debater a situação do sistema de transporte coletivo de Timon. da Assessoria.