Uilma Resende denuncia débito milionário da prefeitura de Timon com a empresa Mega On

spot_img
Compartilhe:

 

Ao utilizar a tribuna na manhã desta quarta-feira, 10, o presidente da Câmara Municipal de Timon, vereador Uilma Resende, denunciou que a prefeitura de Timon está com um débito milionário com a empresa Mega On, responsável pela contratação de terceirizados para diversas secretárias, que segundo estimativas pode chegar a R$ 8 milhões e que por conta do atraso nos repasses os trabalhadores estão com até cinco meses de salários atrasados.

O parlamentar lembrou que antes do contrato com a empresa Mega On a prefeitura de Timon tinha contrato com uma cooperativa para efetuar a contratação de trabalhadores terceirizados, mas que a mesma foi retirada de Timon após investigações da Polícia Civil, Polícia Federal e Ministério Público.

Uilma Resende afirmou que esteve na sede da Mega On para verificar a situação e foi informado que no dia 21 de janeiro de 2021 a prefeitura de Timon havia feito o repasse referente ao mês de maio de 2020. “Se nós olharmos no contrato, contando com o décimo terceiro e mais o mês de janeiro, já dão nove meses de atraso, dois terços de um ano sem a empresa receber o pagamento”.

O vereador lembra ainda que durante o ano de 2020 a prefeitura de Timon passou boa parte do ano sem fazer contratações e com prédios fechados por conta da pandemia e que com isso a estimativa de economia foi de pelo menos R$ 800 mil mensais, somente com energia elétrica, fora outras despesas economizadas.

“A estimativa é que hoje o executivo municipal tem um débito de R$ 8 milhões com a empresa Mega On e para onde foi esse dinheiro? Nós não passamos um mês sem receber recursos. Pra onde foi? E é isso que nós iremos saber. Respeito? Tenho a todo mundo. Tratamento? Igual para todos, mas essa cobrança nós iremos fazer. É humilhante para um servidor ligar para alguém, onde ele está ocupando uma cadeira, está trabalhando, mas está dizendo ‘me dê uma cesta básica porque hoje eu não tenho o que comer’”, lamentou.

Uilma Resende informou ainda que a Câmara de Timon irá convocar representantes da prefeitura de Timon e da empresa Mega On para esclarecer essa situação para os vereadores e para toda a população timonense. “Nós vamos receber eles aqui e vão ter que dizer. Se eles não vierem aqui para prestar esclarecimento, vamos convidar eles com a presença do Ministério Público, do juiz, de quem quer que seja, estes esclarecimentos terão que ser dados aqui. São R$ 8 milhões só em atraso com a Mega On, pra onde foi esse dinheiro?”, questionou.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Vagas temporárias: especialista dá dicas para se destacar nas seleções

Varejo e serviços devem abrir 95 mil vagas temporárias para o fim de ano Por Elainy Castro Segundo levantamento realizado em todas as regiões do Brasil...

São Luís está entre os 20 destinos nacionais mais procurados na Black Friday, segundo a Decolar

São Luís foi apontada como um dos 20 destinos mais procurados durante a campanha de Black Friday da companhia de viagens on-line Decolar. A...

TRF1 aceita denúncia do MPF contra prefeito de Pinheiro (MA) e mais seis pessoas por fraudes e desvio de recursos

Eles responderão por crimes de responsabilidade, lavagem de capitais e organização criminosa, na medida de suas participações Por unanimidade, o Tribunal Regional Federal da 1ª...
  Ao utilizar a tribuna na manhã desta quarta-feira, 10, o presidente da Câmara Municipal de Timon, vereador Uilma Resende, denunciou que a prefeitura de Timon está com um débito milionário com a empresa Mega On, responsável pela contratação de terceirizados para diversas secretárias, que segundo estimativas pode chegar a R$ 8 milhões e que por conta do atraso nos repasses os trabalhadores estão com até cinco meses de salários atrasados. O parlamentar lembrou que antes do contrato com a empresa Mega On a prefeitura de Timon tinha contrato com uma cooperativa para efetuar a contratação de trabalhadores terceirizados, mas que a mesma foi retirada de Timon após investigações da Polícia Civil, Polícia Federal e Ministério Público. Uilma Resende afirmou que esteve na sede da Mega On para verificar a situação e foi informado que no dia 21 de janeiro de 2021 a prefeitura de Timon havia feito o repasse referente ao mês de maio de 2020. “Se nós olharmos no contrato, contando com o décimo terceiro e mais o mês de janeiro, já dão nove meses de atraso, dois terços de um ano sem a empresa receber o pagamento”. O vereador lembra ainda que durante o ano de 2020 a prefeitura de Timon passou boa parte do ano sem fazer contratações e com prédios fechados por conta da pandemia e que com isso a estimativa de economia foi de pelo menos R$ 800 mil mensais, somente com energia elétrica, fora outras despesas economizadas. “A estimativa é que hoje o executivo municipal tem um débito de R$ 8 milhões com a empresa Mega On e para onde foi esse dinheiro? Nós não passamos um mês sem receber recursos. Pra onde foi? E é isso que nós iremos saber. Respeito? Tenho a todo mundo. Tratamento? Igual para todos, mas essa cobrança nós iremos fazer. É humilhante para um servidor ligar para alguém, onde ele está ocupando uma cadeira, está trabalhando, mas está dizendo ‘me dê uma cesta básica porque hoje eu não tenho o que comer’”, lamentou. Uilma Resende informou ainda que a Câmara de Timon irá convocar representantes da prefeitura de Timon e da empresa Mega On para esclarecer essa situação para os vereadores e para toda a população timonense. “Nós vamos receber eles aqui e vão ter que dizer. Se eles não vierem aqui para prestar esclarecimento, vamos convidar eles com a presença do Ministério Público, do juiz, de quem quer que seja, estes esclarecimentos terão que ser dados aqui. São R$ 8 milhões só em atraso com a Mega On, pra onde foi esse dinheiro?”, questionou.