Vereadores denunciam corrupção e compra de votos na eleição da Mesa da Câmara de Timon

spot_img
Compartilhe:

A denúncia foi feita agora pela manhã ao delegado Michel Sampaio, titular do 1º DP de Timon.

Segundo a vereadora, ontem, por volta das 8hs da manhã, ela foi “peitada” por uma mulher que teria feito proposta de comprar seu voto na mesa da Câmara. Cláudia Regina (PMB) faz parte da chapa de oposição composta por 11 vereadores e ocupa lugar na mesa que tem como  candidato a presidente o vereador Helber Guimarães. A conversa entre as duas foi gravada pela vereadora.

A vereadora fez toda narrativa da tentativa de compra de votos ao delegado e apresentou provas da denúncia de corrupção. Cláudia Regina disse que foi procurada por uma pessoa que se dizia representante do empresário João Claudino Fernandes, dono do Grupo Paraíba, um dos maiores conglomerados da região Nordeste, com lojas, shopinngs e fábricas.

O empresário, em conversa com a vereadora Socorro Waquim (MDB) negou qualquer participação na compra de votos. Seu nome pode ter sido usado indevidamente pela mulher.

Todo material entregue no distrito policial como provas da denúncia de corrupção passará por perícia. São conversas de áudios gravadas pela vereadora com a mulher que se identificou com Francis Gomes e usou o nome do empresário João Claudino na negociação se dizendo amiga dele. A conversa aconteceu no interior de panificadora localizada na Avenida Presidente Médice em frente à agência da Caixa, em Timon.

Além disso, foram entregues prints de conversas através do whatsapp.

Dias antes da vereadora Cláudia Regina ser “peitada” por Francis Gomes, ela teria oferecido dinheiro ao vereador Henrique Junior (PMN), também em troca do voto dele na mesa da Câmara. O vereador também apresentou prints  da conversa comprometedora.

Tentamos contato com Francis Gomes, que é irmã do promoter Frank Gomes e que na eleição passada concorreu ao cargo de vereador de Timon, mas não obtivemos sucesso.

 

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Equatorial Maranhão informa sobre funcionamento durante feriado do Dia do Evangélico em Timon

Por conta do feriado do Dia do Evangélico, em Timon, comemorado nessa terça-feira, 16 de agosto, a Agência presencial de Atendimento e o Posto...

Lucas da Farmácia mostra força politica e lota espaço de eventos em Timon

Ao lado de Henrique Junior, candidato a deputado federal e Vinicius Louro, candidato a deputado  estadual, Lucas da Farmácia mostrou força politica em evento. Não...

Paulo Marinho Jr visita projeto social em Buriti Bravo

Na tarde deste último sábado (13), o Deputado Federal Paulo Marinho Jr (PL), realizou visita aos municípios de Buriti Bravo e Colinas (MA), onde...
A denúncia foi feita agora pela manhã ao delegado Michel Sampaio, titular do 1º DP de Timon. Segundo a vereadora, ontem, por volta das 8hs da manhã, ela foi “peitada” por uma mulher que teria feito proposta de comprar seu voto na mesa da Câmara. Cláudia Regina (PMB) faz parte da chapa de oposição composta por 11 vereadores e ocupa lugar na mesa que tem como  candidato a presidente o vereador Helber Guimarães. A conversa entre as duas foi gravada pela vereadora. A vereadora fez toda narrativa da tentativa de compra de votos ao delegado e apresentou provas da denúncia de corrupção. Cláudia Regina disse que foi procurada por uma pessoa que se dizia representante do empresário João Claudino Fernandes, dono do Grupo Paraíba, um dos maiores conglomerados da região Nordeste, com lojas, shopinngs e fábricas. O empresário, em conversa com a vereadora Socorro Waquim (MDB) negou qualquer participação na compra de votos. Seu nome pode ter sido usado indevidamente pela mulher. Todo material entregue no distrito policial como provas da denúncia de corrupção passará por perícia. São conversas de áudios gravadas pela vereadora com a mulher que se identificou com Francis Gomes e usou o nome do empresário João Claudino na negociação se dizendo amiga dele. A conversa aconteceu no interior de panificadora localizada na Avenida Presidente Médice em frente à agência da Caixa, em Timon. Além disso, foram entregues prints de conversas através do whatsapp. Dias antes da vereadora Cláudia Regina ser “peitada” por Francis Gomes, ela teria oferecido dinheiro ao vereador Henrique Junior (PMN), também em troca do voto dele na mesa da Câmara. O vereador também apresentou prints  da conversa comprometedora. Tentamos contato com Francis Gomes, que é irmã do promoter Frank Gomes e que na eleição passada concorreu ao cargo de vereador de Timon, mas não obtivemos sucesso.