Apesar de anunciar em carta, Luciano Leitoa ainda não entregou cargos do governo Flávio Dino

spot_img
Compartilhe:

O grupo Leitoa ainda detém a nomeação de inúmeros cargos no governo Flavio Dino, que com o rompimento do grupo com o vice-governador Carlos Brandão, inevitavelmente, esses cargos irão para os opositores do grupo em Timon.

O ex-prefeito disse que entregaria os cargos. Só não falou quando!

Apesar de ter dito em carta aberta à população do Maranhão, exposta no seu perfil no instagram, o ex-prefeito Luciano Leitoa não entregou os cargos que seu grupo politico ainda detém no governo estadual em Timon.

Na carta, o ex-prefeito, além de anunciar que concorreria às prévias do PSB no Maranhão, enfrentando o vice-governador Brandão, que deve se filiar em março ao partido, afirmou que entregaria os cargos que detém no município nomeados pelo governador Flávio Dino. O anúncio foi feito no início do mês de dezembro do ano  passado, mas até o momento não existe nenhuma intenção de quem está exercendo esses cargos a deixá-los a pedido do ex-prefeito Luciano Leitoa.

Luciano Leitoa disse que entregaria os cargos para não prejudicar os serviços e também para que os aliados do vice-governador Carlos Brandão, sedentos pelas colocações, possam nomear seus apaniguados e possam prestar os serviços à população.

Segundo levantamento feito pelo blog, o Grupo Leitoa mantém diretores e supervisores na Unidade de Pronto Atendimento – UPA; direção da Unidade Regional de Educação, assessoramento regional na Secretaria de Indústria e Comércio e Gerencia da Agerp, além de alguns cargos de assessores exercendo funções dentro da estrutura estadual.

A direção da UPA que era exercida por indicação do grupo foi entregue, mas num ato isolado de Maria José Assunção, que em novembro pediu demissão do cargo. Em seu lugar, o governo, através da empresa Emserh, que é a empresa terceirizada para atendimento dos serviços de saúde no Maranhão, nomeou a servidora Maria do Livramento, que tem critério de escolha técnico e não politico.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Confusão generalizada em caminhada é um desrespeito aos princípios da democracia

A nenhum dos candidatos a deputado estadual em Timon - Coronel Schnneyder e Socorro Waquim - devem ser atribuídas as confusões geradas em um...

Não esqueça o Zé Gotinha!

Saiba quais os riscos de não vacinar seu filho contra a poliomielite. Por Elainy Castro. Com certeza você lembra dele: Zé Gotinha é um personagem que...

Calor: Cuidados com a pele durante o B-R-O-Bró  

 Esteticista dá dicas sobre hábitos a serem adotados para evitar danos causados pelo sol   Com temperaturas ultrapassando os 40 graus na Capital Piauiense, a atenção...

O grupo Leitoa ainda detém a nomeação de inúmeros cargos no governo Flavio Dino, que com o rompimento do grupo com o vice-governador Carlos Brandão, inevitavelmente, esses cargos irão para os opositores do grupo em Timon.

O ex-prefeito disse que entregaria os cargos. Só não falou quando!
Apesar de ter dito em carta aberta à população do Maranhão, exposta no seu perfil no instagram, o ex-prefeito Luciano Leitoa não entregou os cargos que seu grupo politico ainda detém no governo estadual em Timon. Na carta, o ex-prefeito, além de anunciar que concorreria às prévias do PSB no Maranhão, enfrentando o vice-governador Brandão, que deve se filiar em março ao partido, afirmou que entregaria os cargos que detém no município nomeados pelo governador Flávio Dino. O anúncio foi feito no início do mês de dezembro do ano  passado, mas até o momento não existe nenhuma intenção de quem está exercendo esses cargos a deixá-los a pedido do ex-prefeito Luciano Leitoa. Luciano Leitoa disse que entregaria os cargos para não prejudicar os serviços e também para que os aliados do vice-governador Carlos Brandão, sedentos pelas colocações, possam nomear seus apaniguados e possam prestar os serviços à população. Segundo levantamento feito pelo blog, o Grupo Leitoa mantém diretores e supervisores na Unidade de Pronto Atendimento - UPA; direção da Unidade Regional de Educação, assessoramento regional na Secretaria de Indústria e Comércio e Gerencia da Agerp, além de alguns cargos de assessores exercendo funções dentro da estrutura estadual. A direção da UPA que era exercida por indicação do grupo foi entregue, mas num ato isolado de Maria José Assunção, que em novembro pediu demissão do cargo. Em seu lugar, o governo, através da empresa Emserh, que é a empresa terceirizada para atendimento dos serviços de saúde no Maranhão, nomeou a servidora Maria do Livramento, que tem critério de escolha técnico e não politico.