Aprovado projeto que proíbe “ficha suja” assumir cargo na Prefeitura de Teresina

spot_img
Compartilhe:

O projeto, de autoria do vereador Ismael Silva, quer moralizar as nomeações para cargos no município.

Tramita na Câmara Municipal de Teresina (CMT) um projeto de lei que propõe barrar a nomeação de pessoas que já foram condenadas pela Justiça a cumprir determinado período de prisão para ocupar cargos comissionados na administração pública. A proposta é conhecida como Ficha Limpa Municipal, de autoria do vereador Ismael Silva (PSD). O projeto foi aprovado ontem, 16, em primeira votação e seguirá agora o trâmite para se tornar lei municipal.

Em entrevista à TV Clube, o parlamentar – que também é advogado – explicou que o texto tem como base o regimento N° 135/ 2010, conhecido como Lei da Ficha Limpa. Ismael Silva destacou a importância dos cargos e pediu idoneidade às pessoas que pleiteiam vagas no sistema público.

“Se para você exercer um cargo público de forma definitiva por meio de concurso público você precisa comprovar que tem idoneidade moral, se para exercer um cargo de mandato eletivo você precisa comprovar a idoneidade moral, se na iniciativa privada uma das exigências é você apresentar uma certidão de bons antecedentes criminais. Então, por que não se aplicar isso aos cargos públicos em comissão?”, indagou.

A matéria será apreciada nas comissões da Casa e, caso aprovada, será encaminhada ao Plenário para votação. Recebendo parecer favorável da maioria dos vereadores, o projeto segue à sanção ou veto do prefeito Dr. Pessoa (MDB).

“Nós queremos aplicar isso no âmbito no município de Teresina aos cargos comissionados, seja da administração pública direta ou indireta e até mesmo do poder legislativo”, enfatizou o parlamentar.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Vereador Thiago Carvalho participa e incentiva doação de sangue no Hospital Alarico Pacheco

Os vereadores Thiago Carvalho, Dr. Torquato e Da Luz do Sete Estrelas estiveram, neste sábado (26), no Hospital Alarico Nunes Pachêco, para realizar doação...

Quem matou Terceiro Waquim? A pergunta não cala!

Essa é a pergunta feita em todas às rodas de conversas em Timon. As pessoas, entre olhares, se cutucam e até se manifestam sobre a...

Imprensa desportiva mundial se rende ao talento de “Richarlison. Até jornal argentino: “golaço”

Camisa 7 do Brasil marcou os dois gols da vitória brasileira; Diario Olé, que costuma pegar no pé do atacante, faz elogios nas redes,...

O projeto, de autoria do vereador Ismael Silva, quer moralizar as nomeações para cargos no município.

Tramita na Câmara Municipal de Teresina (CMT) um projeto de lei que propõe barrar a nomeação de pessoas que já foram condenadas pela Justiça a cumprir determinado período de prisão para ocupar cargos comissionados na administração pública. A proposta é conhecida como Ficha Limpa Municipal, de autoria do vereador Ismael Silva (PSD). O projeto foi aprovado ontem, 16, em primeira votação e seguirá agora o trâmite para se tornar lei municipal. Em entrevista à TV Clube, o parlamentar – que também é advogado – explicou que o texto tem como base o regimento N° 135/ 2010, conhecido como Lei da Ficha Limpa. Ismael Silva destacou a importância dos cargos e pediu idoneidade às pessoas que pleiteiam vagas no sistema público. “Se para você exercer um cargo público de forma definitiva por meio de concurso público você precisa comprovar que tem idoneidade moral, se para exercer um cargo de mandato eletivo você precisa comprovar a idoneidade moral, se na iniciativa privada uma das exigências é você apresentar uma certidão de bons antecedentes criminais. Então, por que não se aplicar isso aos cargos públicos em comissão?”, indagou. A matéria será apreciada nas comissões da Casa e, caso aprovada, será encaminhada ao Plenário para votação. Recebendo parecer favorável da maioria dos vereadores, o projeto segue à sanção ou veto do prefeito Dr. Pessoa (MDB). “Nós queremos aplicar isso no âmbito no município de Teresina aos cargos comissionados, seja da administração pública direta ou indireta e até mesmo do poder legislativo”, enfatizou o parlamentar.