Briga por cargos do governo em Timon gera especulações, desentendimentos e governador cancela agenda

spot_img
Compartilhe:

As informações que chegam até o blog, são as de que Carlos Brandão cancelou agenda que cumpriria em Timon nessa quarta-feira.

As especulações em torno das nomeações e indicações para os cargos públicos de órgãos regionais e locais sob de responsabilidade do Governo do Maranhão em Timon e região têm provocado uma certa ansiedade e expectativa negativa aos aliados do governador Carlos Brandão, devido exatamente a forma como o próprio chefe do executivo tratou a divisibilidade e os espaços que cabe a cada um, mas também pelo direcionamento de articulação do processo ao secretário estadual Rubens Pereira, conhecido no meio político por “Rubão”.

Na verdade, ao se tornar esse articulador, com prerrogativa atribuídas pelo governador, Rubão, tratou, em primeiro lugar, de se arrumar e arrumar os seus com o objetivo de gerar apoios para seu filho  Deputado Federal Rubens Pereira Junior, candidato a reeleição pelo PT e que não “andava bem das pernas” desde a derrota de seu grupo na Prefeitura de Matões para o prefeito Ferdinando Coutinho. Com isso, Rubão acabou criando inúmeros dissabores e desentendimentos com a base aliada de Brandão na cidade.

Com a possibilidade de articular cargos para seus apaniguados e de quebra ajudar na eleição de seu filho e fortalecer seu grupo para o enfrentamento de campanha em 2024, Rubão pouco se importou, e se importa com que pode acontecer com os rumos do governo estadual este ano.

Por isso, entrou em ação as articulações dos deputados e aliados da região em torno do poder e de uma decisão mais clara do governador Carlos Brandão com relação aos critérios da distribuição dos cargos, que a priori, deve ser observada a representatividade parlamentar na Assembleia Legislativa do Maranhão, pelo menos é assim que se tem feito ao longo dos anos na política.

De certo mesmo e com definição nas indicações dos cargos, o Deputado Rafael permanece com o seu  quinhão inalterado tendo indicações da maioria dos cargos do governo e Timon prevalecendo assim, inclusive, as indicações mesmo, após o rompimento com o Grupo Leitoa, que detinha quase todas às indicações de cargos em Timon.

A briga, os entreveros e desentendimentos chegaram ao ponto de o governador Carlos Brandão cancelar a visita que faria a Timon prevista na próxima quarta-feira, 11, e sem a definição, ficam as especulações de que os cargos de Direção da UPA e da Unidade Regional da Educação, podem ser nomeados pela deputada Socorro Waquim, quanto as demais como: Ciretran (Kenedy Gedeon) e Aged (Francisco Torres) deverão permanecer com os atuais diretores nomeados ainda pelo ex-governador Flávio Dino e defendidos por Rubão.

Rubão, segundo ainda a briga de bastidores, quer tomar de Rafael Leitoa o cargo de direção da Regional da Saúde.

Se isso permanecer da forma que está, sem o pulso do governador e com a interferência direta de quem tem interesse em tumultuar o processo,  o governo de Brandão perde tempo, espaço e votos.

 

 

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

Aulas na Rede Estadual iniciam nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão

Nesta segunda-feira (6), estudantes da Rede Estadual nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão retornaram às salas de aula. Para fortalecer as estratégias...

Projeto de Lei do deputado Rafael assegura acesso a medicamentos à base de canabidiol e similares

O Projeto de Lei 01/2023, de autoria do deputado Rafael, assegura o acesso a medicamentos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) “às...

As informações que chegam até o blog, são as de que Carlos Brandão cancelou agenda que cumpriria em Timon nessa quarta-feira.

As especulações em torno das nomeações e indicações para os cargos públicos de órgãos regionais e locais sob de responsabilidade do Governo do Maranhão em Timon e região têm provocado uma certa ansiedade e expectativa negativa aos aliados do governador Carlos Brandão, devido exatamente a forma como o próprio chefe do executivo tratou a divisibilidade e os espaços que cabe a cada um, mas também pelo direcionamento de articulação do processo ao secretário estadual Rubens Pereira, conhecido no meio político por "Rubão". Na verdade, ao se tornar esse articulador, com prerrogativa atribuídas pelo governador, Rubão, tratou, em primeiro lugar, de se arrumar e arrumar os seus com o objetivo de gerar apoios para seu filho  Deputado Federal Rubens Pereira Junior, candidato a reeleição pelo PT e que não "andava bem das pernas" desde a derrota de seu grupo na Prefeitura de Matões para o prefeito Ferdinando Coutinho. Com isso, Rubão acabou criando inúmeros dissabores e desentendimentos com a base aliada de Brandão na cidade. Com a possibilidade de articular cargos para seus apaniguados e de quebra ajudar na eleição de seu filho e fortalecer seu grupo para o enfrentamento de campanha em 2024, Rubão pouco se importou, e se importa com que pode acontecer com os rumos do governo estadual este ano. Por isso, entrou em ação as articulações dos deputados e aliados da região em torno do poder e de uma decisão mais clara do governador Carlos Brandão com relação aos critérios da distribuição dos cargos, que a priori, deve ser observada a representatividade parlamentar na Assembleia Legislativa do Maranhão, pelo menos é assim que se tem feito ao longo dos anos na política. De certo mesmo e com definição nas indicações dos cargos, o Deputado Rafael permanece com o seu  quinhão inalterado tendo indicações da maioria dos cargos do governo e Timon prevalecendo assim, inclusive, as indicações mesmo, após o rompimento com o Grupo Leitoa, que detinha quase todas às indicações de cargos em Timon. A briga, os entreveros e desentendimentos chegaram ao ponto de o governador Carlos Brandão cancelar a visita que faria a Timon prevista na próxima quarta-feira, 11, e sem a definição, ficam as especulações de que os cargos de Direção da UPA e da Unidade Regional da Educação, podem ser nomeados pela deputada Socorro Waquim, quanto as demais como: Ciretran (Kenedy Gedeon) e Aged (Francisco Torres) deverão permanecer com os atuais diretores nomeados ainda pelo ex-governador Flávio Dino e defendidos por Rubão. Rubão, segundo ainda a briga de bastidores, quer tomar de Rafael Leitoa o cargo de direção da Regional da Saúde. Se isso permanecer da forma que está, sem o pulso do governador e com a interferência direta de quem tem interesse em tumultuar o processo,  o governo de Brandão perde tempo, espaço e votos.