Entrevista em TV e participação em rádio de secretário acirram ainda mais os ânimos entre governo e legislativo

spot_img
Compartilhe:
Participação de Tião em TV e rádio acirra ainda mais os ânimos

O clima entre o executivo e o legislativo timonense “azedou de vez”.  Se estava ruim após uma reportagem televisiva produzida por TV de Teresina, na última sexta-feira, em que o secretário Sebastião Carlos, do Planejamento e o Procurador Geral João Santos aproveitaram para fazer críticas aos vereadores piorou com a participação do secretário em programa do radialista Eliézio Silva, no sábado, onde o secretário incendiou a polêmica.

Na semana passada, o secretário Tião foi alvo de críticas dos vereadores por conta do vazamento de áudios em que ele usa expressões chulas e palavrões para definir os vereadores, que, em contrapartida usaram a tribuna, na semana passada, para pedir a retratação do assessor de Luciano Leitoa, que ao invés disso, preferiu alimentar a polêmica e tornar a relação ainda mais complicada com declarações através da mídia. (Ouça a participação do secretário)

Na sexta-feira, Tião e João Santos concederam entrevista, acusando os vereadores de estarem prejudicando a população por terem derrubado decreto do prefeito Luciano Leitoa em que o executivo autoriza parcelamento de solo sem a anuência e concordância do Poder Legislativo, que tem Lei aprovada que estabelece essa formalidade da Casa para a instalação de novos empreendimentos imobiliários em Timon. O procurador chegou a afirmar durante sua participação na entrevista televisiva, que a Lei aprovada pela Câmara com esse fim, é inconstitucional.

No sábado, em participação em rádio local, Tião foi ainda mais enfático em suas críticas, é claro que ele não usou o mesmo linguajar baixo dos áudios que causaram a revolta nos vereadores. Segundo ele, o áudio foi vazado de uma conversa dele com o vereador Raimundo da Ração e autorizou o radialista a colocar a integra da conversa, para delimitar aquilo que falou no áudio.

Segundo o secretário, dentro da Câmara existem vereadores do mais alto gabarito que “a gente precisa reconhecer”, mas questionou o “caráter da pessoa que permitiu que uma conversa privada tornasse pública”, disse o secretário. De acordo ainda com Tião, alguém se aproveitou do descuido do Raimundo e de forma irresponsável tornou público uma conversa privada, disse.

Tião disse que  os vereadores estão se prevalecendo da imunidade parlamentar para xingar o prefeito e os secretários e denegrindo a imagem dos outros, enquanto que a imunidade é para defender a constituição, a lei orgânica, afirma.

Após a participação do secretário, o que se seguiu foi a participação do vereador Anderson Pego, um dos mais atingidos com os impropérios de Tião no áudios vazados e hoje, durante os discursos, o clima deverá ser ainda mais quente.

Com prejuízos, sempre para o lado mais fraco. O povo.

 

 

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Com superação e reeleição, Deputado Rafael se torna o grande articulador do Governo Brandão

A reeleição do Deputado Rafael lhe permite e determina que ele seja o grande articulador do Governo Brandão, na Assembleia Legislativa, onde foi líder...

Declínio eleitoral dos Leitoas chega ao auge em 2022 com derrota para governo e assembleia do MA

Com a perda do governo estadual e vaga na Assembleia as derrotas do grupo estão cada vez mais evidentes e iminentes. Os dados, os números...

Legado e resgate histórico: Gracinha Mão Santa é eleita deputada estadual do Piauí

Gracinha Mão Santa inicia vida pública eletiva da mesma forma que Mão Santa há  44 anos. Há exatos 44 anos Francisco de Assis de Moraes...
Participação de Tião em TV e rádio acirra ainda mais os ânimos
O clima entre o executivo e o legislativo timonense "azedou de vez".  Se estava ruim após uma reportagem televisiva produzida por TV de Teresina, na última sexta-feira, em que o secretário Sebastião Carlos, do Planejamento e o Procurador Geral João Santos aproveitaram para fazer críticas aos vereadores piorou com a participação do secretário em programa do radialista Eliézio Silva, no sábado, onde o secretário incendiou a polêmica. Na semana passada, o secretário Tião foi alvo de críticas dos vereadores por conta do vazamento de áudios em que ele usa expressões chulas e palavrões para definir os vereadores, que, em contrapartida usaram a tribuna, na semana passada, para pedir a retratação do assessor de Luciano Leitoa, que ao invés disso, preferiu alimentar a polêmica e tornar a relação ainda mais complicada com declarações através da mídia. (Ouça a participação do secretário) Na sexta-feira, Tião e João Santos concederam entrevista, acusando os vereadores de estarem prejudicando a população por terem derrubado decreto do prefeito Luciano Leitoa em que o executivo autoriza parcelamento de solo sem a anuência e concordância do Poder Legislativo, que tem Lei aprovada que estabelece essa formalidade da Casa para a instalação de novos empreendimentos imobiliários em Timon. O procurador chegou a afirmar durante sua participação na entrevista televisiva, que a Lei aprovada pela Câmara com esse fim, é inconstitucional. No sábado, em participação em rádio local, Tião foi ainda mais enfático em suas críticas, é claro que ele não usou o mesmo linguajar baixo dos áudios que causaram a revolta nos vereadores. Segundo ele, o áudio foi vazado de uma conversa dele com o vereador Raimundo da Ração e autorizou o radialista a colocar a integra da conversa, para delimitar aquilo que falou no áudio. Segundo o secretário, dentro da Câmara existem vereadores do mais alto gabarito que "a gente precisa reconhecer", mas questionou o "caráter da pessoa que permitiu que uma conversa privada tornasse pública", disse o secretário. De acordo ainda com Tião, alguém se aproveitou do descuido do Raimundo e de forma irresponsável tornou público uma conversa privada, disse. Tião disse que  os vereadores estão se prevalecendo da imunidade parlamentar para xingar o prefeito e os secretários e denegrindo a imagem dos outros, enquanto que a imunidade é para defender a constituição, a lei orgânica, afirma. Após a participação do secretário, o que se seguiu foi a participação do vereador Anderson Pego, um dos mais atingidos com os impropérios de Tião no áudios vazados e hoje, durante os discursos, o clima deverá ser ainda mais quente. Com prejuízos, sempre para o lado mais fraco. O povo.