Juiz manda Uilma marcar data da sessão para realização da eleição da Mesa, mas é cedo pra o governo comemorar decisão

spot_img
Compartilhe:

O presidente Uilma Resende, que está em São Luís, não foi notificado da decisão liminar.

Num português bem claro e com termos jurídicos claros ainda, o Juiz Weliton Carvalho, da Vara dos feitos da Fazenda, de Timon, determina que o presidente Uilma Resende, dentro de um prazo de 72 horas, isso após ser notificado -, providencie e comprove nos autos a convocação e comunicação aos vereadores da realização de sessão extraordinária, a fim de realizar a Eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Timon para o biênio 2023/2024, portanto essa é a decisão.

O prazo para a realização da eleição, segundo o regimento, seria na segunda quinzena do mês de fevereiro deste ano, e de acordo com os vereadores da base, que entraram na justiça, esse prazo foi vencido e o presidente não marcou a data do pleito. Alegam os 11 vereadores, que por serem a maioria querem que a eleição seja realizado o quanto antes.

No entanto, juristas consultados pelo blog, afirmam que o fato da eleição não ter sido realizada dentro do prazo, e a decisão de marcar uma nova data é matéria interna corporis, o presidente Uilma Resende, ao ser notificado – salvo qualquer decisão de entrância superior contrária a liminar do Juiz da Comarca de Timon, terá que convocar uma nova data para sessão extraordinária que decidirá sobre o dia da eleição da nova mesa Diretora da Câmara de Timon, que pode ser numa data não pretendida pelos os atuais 11 vereadores do governo, que tem maioria momentânea e pressa para vencer o pleito.

Por isso, a decisão luminar, tem ainda muito pouco a ser comemorado pelos vereadores da base da prefeita Dinair Veloso.

É isso!

 

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

Aulas na Rede Estadual iniciam nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão

Nesta segunda-feira (6), estudantes da Rede Estadual nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão retornaram às salas de aula. Para fortalecer as estratégias...

Projeto de Lei do deputado Rafael assegura acesso a medicamentos à base de canabidiol e similares

O Projeto de Lei 01/2023, de autoria do deputado Rafael, assegura o acesso a medicamentos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) “às...

O presidente Uilma Resende, que está em São Luís, não foi notificado da decisão liminar.

Num português bem claro e com termos jurídicos claros ainda, o Juiz Weliton Carvalho, da Vara dos feitos da Fazenda, de Timon, determina que o presidente Uilma Resende, dentro de um prazo de 72 horas, isso após ser notificado -, providencie e comprove nos autos a convocação e comunicação aos vereadores da realização de sessão extraordinária, a fim de realizar a Eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Timon para o biênio 2023/2024, portanto essa é a decisão. O prazo para a realização da eleição, segundo o regimento, seria na segunda quinzena do mês de fevereiro deste ano, e de acordo com os vereadores da base, que entraram na justiça, esse prazo foi vencido e o presidente não marcou a data do pleito. Alegam os 11 vereadores, que por serem a maioria querem que a eleição seja realizado o quanto antes. No entanto, juristas consultados pelo blog, afirmam que o fato da eleição não ter sido realizada dentro do prazo, e a decisão de marcar uma nova data é matéria interna corporis, o presidente Uilma Resende, ao ser notificado - salvo qualquer decisão de entrância superior contrária a liminar do Juiz da Comarca de Timon, terá que convocar uma nova data para sessão extraordinária que decidirá sobre o dia da eleição da nova mesa Diretora da Câmara de Timon, que pode ser numa data não pretendida pelos os atuais 11 vereadores do governo, que tem maioria momentânea e pressa para vencer o pleito. Por isso, a decisão luminar, tem ainda muito pouco a ser comemorado pelos vereadores da base da prefeita Dinair Veloso. É isso!