Lula afirma que ‘não pode dizer que não houve corrupção’, admite erros de Dilma e fala em ‘pacificar o país’

spot_img
Compartilhe:

Candidato do PT foi o terceiro entrevistado na série do Jornal Nacional com os presidenciáveis. Ele ainda chamou o orçamento secreto de ‘escárnio’.

O ex-presidente e candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, disse nesta quinta-feira (25) em entrevista ao Jornal Nacional que “não pode dizer que não houve corrupção” na Petrobras em governos petistas. Ele ainda admitiu erros da ex-presidente Dilma Rousseff na economia e disse que quer pacificar o país.

Lula é o terceiro candidato a ser entrevistado nesta semana pelo JN. Na segunda-feira (22), foi o presidente Jair Bolsonaro (PL); na terça (23), o candidato Ciro Gomes (PDT). Nesta sexta-feira (26) é a vez de Simone Tebet (MDB).

Foram convidados os cinco candidatos mais bem colocados na pesquisa divulgada pelo Datafolha em 28 de julho. André Janones (Avante), que estava entre os cinco, retirou a candidatura.

Um sorteio realizado em 1º de agosto com representantes dos partidos definiu as datas e a ordem das entrevistas.

Logo no início da entrevista, Lula foi questionado sobre casos de corrupção na Petrobras durante governos petistas, investigados pela Operação Lava Jato.

Ele lembrou que investigados que fizeram delação premiada confessaram a corrupção. Diante disso, segundo Lula, não há como dizer que não houve irregularidades. Clique e leia mais.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Não esqueça o Zé Gotinha!

Saiba quais os riscos de não vacinar seu filho contra a poliomielite. Por Elainy Castro. Com certeza você lembra dele: Zé Gotinha é um personagem que...

Calor: Cuidados com a pele durante o B-R-O-Bró  

 Esteticista dá dicas sobre hábitos a serem adotados para evitar danos causados pelo sol   Com temperaturas ultrapassando os 40 graus na Capital Piauiense, a atenção...

“Em vinda de Fufuca em Timon, ex-vereador Ramon jr faz discurso emocionante aos seus apoiadores”

Em tom de emoção, o ex-vereador Ramon Junior, falou de sua luta como parlamentar pautada em busca de benefícios para a cidade e com...

Candidato do PT foi o terceiro entrevistado na série do Jornal Nacional com os presidenciáveis. Ele ainda chamou o orçamento secreto de 'escárnio'.

O ex-presidente e candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, disse nesta quinta-feira (25) em entrevista ao Jornal Nacional que "não pode dizer que não houve corrupção" na Petrobras em governos petistas. Ele ainda admitiu erros da ex-presidente Dilma Rousseff na economia e disse que quer pacificar o país.

Lula é o terceiro candidato a ser entrevistado nesta semana pelo JN. Na segunda-feira (22), foi o presidente Jair Bolsonaro (PL); na terça (23), o candidato Ciro Gomes (PDT). Nesta sexta-feira (26) é a vez de Simone Tebet (MDB).

Foram convidados os cinco candidatos mais bem colocados na pesquisa divulgada pelo Datafolha em 28 de julho. André Janones (Avante), que estava entre os cinco, retirou a candidatura.

Um sorteio realizado em 1º de agosto com representantes dos partidos definiu as datas e a ordem das entrevistas.

Logo no início da entrevista, Lula foi questionado sobre casos de corrupção na Petrobras durante governos petistas, investigados pela Operação Lava Jato.

Ele lembrou que investigados que fizeram delação premiada confessaram a corrupção. Diante disso, segundo Lula, não há como dizer que não houve irregularidades. Clique e leia mais.