PMDB vai apoiar as medidas de ajuste fiscal

spot_img
Compartilhe:

logomarca-oficial-PMDB  O PMDB vai apoiar as medidas de ajustes fiscal propostas pelo governo. Essa foi a conclusão do encontro entre dirigentes do partido e integrantes do governo, em jantar realizado na noite de ontem (23), no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fez uma apresentação das duas medidas provisórias, enviadas ao Congresso Nacional, que modificam o acesso a benefícios trabalhistas. As Medidas Provisórias 664 e 665, entre outros assuntos, determinam novas regras para acesso a benefícios previdenciários como, por exemplo, abono salarial, seguro-desemprego e auxílio-doença.

Veja Também:

A informação sobre o apoio do PMDB e sobre a apresentação do ministro Levy sobre as medidas do governo foi passada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu. Segundo ela, o ministro Levy – ao justificar a necessidade de adoção das medidas – fez uma explicação “bastante contundente, bastante clara da situação” econômica do país.

De acordo com Kátia Abreu, Levy pediu a aprovação das medidas e deixou uma sensação de “otimismo muito grande” para os próximos anos. “Foi uma reunião maravilhosa. Mais uma vez o PMDB vai apoiar as medidas do governo. O PMDB vai apoiar as duas MPs”, declarou Kátia Abreu na saída do encontro. Além de Levy, estiveram presentes os ministros do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

De acordo com a ministra, durante o encontro os participantes não entraram em detalhes sobre se o apoio se dará diretamente ao texto original das medidas enviadas ou se haverá modificação nas propostas. Segundo ela, o apoio de qualquer forma se dará na forma que o ajuste fiscal exige. “O partido assumiu o compromisso de apoiar as medidas”, disse.

Participaram da reunião todos os ministros do partido no governo Dilma Rousseff, além dos presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha. Conforme disse Kátia Abreu, Cunha foi um dos “mais contundentes [participantes a] apoiar as medidas do governo”. Lideranças do partido – como o ex-presidente José Sarney – também participaram do jantar, além do ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante (único integrante do PT).

 

Edição: Veja Timon

Via: Agência Brasil

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Morador de Timon é um dos ganhadores da Promoção Energia em Dia

Clientes ainda podem se cadastrar e concorrer aos próximos sorteios A promoção Energia em Dia está premiando os clientes que estão em dia com suas...

Paulo Marinho Júnior visita a cidade de Duque Bacelar

O candidato a Deputado Federal, Paulo Marinho Júnior (PL), visitou nesta quarta-feira (10), a cidade de Duque Bacelar. A agenda foi a convite do...

Mais uma ação pede a impugnação de Chico Leitoa como candidato a deputado estadual

Depois de ação do Ministério Público Eleitoral, agora é o vereador Kaká do Frugosá que move ação para barrar candidatura de Chico Leitoa. Mais uma...
logomarca-oficial-PMDB  O PMDB vai apoiar as medidas de ajustes fiscal propostas pelo governo. Essa foi a conclusão do encontro entre dirigentes do partido e integrantes do governo, em jantar realizado na noite de ontem (23), no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fez uma apresentação das duas medidas provisórias, enviadas ao Congresso Nacional, que modificam o acesso a benefícios trabalhistas. As Medidas Provisórias 664 e 665, entre outros assuntos, determinam novas regras para acesso a benefícios previdenciários como, por exemplo, abono salarial, seguro-desemprego e auxílio-doença.

Veja Também:

A informação sobre o apoio do PMDB e sobre a apresentação do ministro Levy sobre as medidas do governo foi passada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu. Segundo ela, o ministro Levy – ao justificar a necessidade de adoção das medidas – fez uma explicação “bastante contundente, bastante clara da situação” econômica do país. De acordo com Kátia Abreu, Levy pediu a aprovação das medidas e deixou uma sensação de “otimismo muito grande” para os próximos anos. “Foi uma reunião maravilhosa. Mais uma vez o PMDB vai apoiar as medidas do governo. O PMDB vai apoiar as duas MPs”, declarou Kátia Abreu na saída do encontro. Além de Levy, estiveram presentes os ministros do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. De acordo com a ministra, durante o encontro os participantes não entraram em detalhes sobre se o apoio se dará diretamente ao texto original das medidas enviadas ou se haverá modificação nas propostas. Segundo ela, o apoio de qualquer forma se dará na forma que o ajuste fiscal exige. “O partido assumiu o compromisso de apoiar as medidas”, disse. Participaram da reunião todos os ministros do partido no governo Dilma Rousseff, além dos presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha. Conforme disse Kátia Abreu, Cunha foi um dos “mais contundentes [participantes a] apoiar as medidas do governo”. Lideranças do partido – como o ex-presidente José Sarney – também participaram do jantar, além do ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante (único integrante do PT).   Edição: Veja Timon Via: Agência Brasil