Gestão de Timon diz que ainda falta a carne congelada no kit e valor mensal de um aluno é R$7,20 por mês

spot_img
Compartilhe:

Após a grande repercussão negativa do “kit vergonha” distribuído hoje, 25, aos alunos de Timon, a gestão da prefeita Dinair Veloso postou no site oficial que ainda está faltando no kit a “carne congelada”, que não está na distribuição esta semana porque a empresa licitada não cumpriu com os prazos que deveria, diz a nota que esclarece também sobre os valores destinados para a merenda escolar  por aluno/dia e quanto a prefeitura recebe por mês. “Um aluno de ensino fundamental regular é no valor de R$ 0,36 (trinta e seis centavos) por dia. Assim, o valor total creditado pelo Governo para a merenda do aluno do ensino fundamental, durante um mês, é de R$7,20 por aluno. Os valores seguem conforme a modalidade de ensino sendo R$ 0,32 (trinta e dois centavos) para Educação de Jovens e Adultos (EJA) com um total de R$6,40 por aluno durante um mês, R$ 0,53 (cinquenta e três centavos) para pré-escola totalizando R$ 10,60 por aluno, também durante um mês, e assim por diante”, diz a nota.

Nas redes sociais existem uma série de vídeos que estão sendo divulgados, mas o blogdoribinha ainda conseguiu comprovar a veracidade, onde pessoas aparecem mostrando que o iogurte que consta no kit merenda da Prefeitura de Timon está estragado e, por isso impróprio para o consumo.

A Prefeitura de Timon, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), esclarece que desde o início da pandemia do Covid-19, segue sensível às necessidades das famílias mais carentes do município.

Após a aprovação da Lei Federal 13.987/2020, que autorizou a distribuição de gênero alimentício adquiridos para as escolas com recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE (programa federal), a Prefeitura respeitou o repasse dos recursos da merenda escolar advindos do Governo Federal.

Cumpre explicar que o repasse da União aos estados e municípios para um aluno de ensino fundamental regular é no valor de R$ 0,36 (trinta e seis centavos) por dia. Assim, o valor total creditado pelo Governo para a merenda do aluno do ensino fundamental, durante um mês, é de R$7,20 por aluno. Os valores seguem conforme a modalidade de ensino sendo R$ 0,32 (trinta e dois centavos) para Educação de Jovens e Adultos (EJA) com um total de R$6,40 por aluno durante um mês, R$ 0,53 (cinquenta e três centavos) para pré-escola totalizando R$ 10,60 por aluno, também durante um mês, e assim por diante. Além disto, o aluno matriculado na creche municipal vai receber um kit da Agricultura Familiar, uma vez que há a determinação de aquisição de gêneros alimentícios – pelo menos 30% – diretamente da agricultura familiar (Lei nº. 11.947 de 16 de junho de 2009).

Sabe-se que a oferta desses alimentos no ambiente escolar é de mais fácil execução, ainda assim o kit dos alimentos, que não corresponde a uma cesta básica, é elaborado pelas nutricionistas da Secretaria de Educação de modo a atender também ao critério de valor nutricional. Cumpre informar que houve, por parte da equipe escolar, uma conferência dos gêneros verificando todas as datas de validade dos itens, a integridade das embalagens, se as quantidades estavam de acordo com o número de alunos, bem como se efetuou a troca de todos os alimentos que estavam impróprios para consumo.

Além do mais, para garantir uma das diretrizes do PNAE – a universalidade, onde os recursos devem ser utilizados para atender todos os estudantes matriculados na educação básica, ofertaram-se produtos não fracionados, ou seja, em embalagens fechadas, e seguro do ponto de vista higiênico-sanitário obedecendo ao protocolo de saúde pública na pandemia, de modo que a aquisição dos gêneros alimentícios para a montagem dos kits não excedesse o orçamento previsto mensalmente para a alimentação escolar do município.

Dos itens que compõem o kit, adquirido de acordo com os recursos do PNAE e o valor nutricional do cardápio alimentar, ainda será entregue, nos próximos dias, a carne congelada que não está na distribuição esta semana porque a empresa licitada não cumpriu com os prazos que deveria. A mesma foi imediatamente notificada pela Semed e irá, após fornecer o item, responder administrativamente pelo atraso.

A Prefeitura de Timon, bem como a Semed, seguem continuamente buscando meios de prover a merenda escolar dos alunos matriculados na rede municipal de educação do município, pois entende a importância desse alimento na casa dos alunos. A distribuição dos kits de alimentos vai beneficiar cerca de 30 mil alunos este mês.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Governador ministra aula de matemática durante abertura do ano letivo de 2023

Rafael Fonteles realizou, nesta segunda, dia 6, solenidade em Altos para marcar início das aulas da rede estadual de Educação. Para marcar o início...

Confira sete alimentos que promovem saciedade   

Nutricionista explica que escolher alimentos corretos traz saciedade e colabora com o emagrecimento saudável   Muitas pessoas iniciam o ano com o objetivo de adotar...

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...
Após a grande repercussão negativa do "kit vergonha" distribuído hoje, 25, aos alunos de Timon, a gestão da prefeita Dinair Veloso postou no site oficial que ainda está faltando no kit a "carne congelada", que não está na distribuição esta semana porque a empresa licitada não cumpriu com os prazos que deveria, diz a nota que esclarece também sobre os valores destinados para a merenda escolar  por aluno/dia e quanto a prefeitura recebe por mês. "Um aluno de ensino fundamental regular é no valor de R$ 0,36 (trinta e seis centavos) por dia. Assim, o valor total creditado pelo Governo para a merenda do aluno do ensino fundamental, durante um mês, é de R$7,20 por aluno. Os valores seguem conforme a modalidade de ensino sendo R$ 0,32 (trinta e dois centavos) para Educação de Jovens e Adultos (EJA) com um total de R$6,40 por aluno durante um mês, R$ 0,53 (cinquenta e três centavos) para pré-escola totalizando R$ 10,60 por aluno, também durante um mês, e assim por diante", diz a nota. Nas redes sociais existem uma série de vídeos que estão sendo divulgados, mas o blogdoribinha ainda conseguiu comprovar a veracidade, onde pessoas aparecem mostrando que o iogurte que consta no kit merenda da Prefeitura de Timon está estragado e, por isso impróprio para o consumo.
A Prefeitura de Timon, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), esclarece que desde o início da pandemia do Covid-19, segue sensível às necessidades das famílias mais carentes do município. Após a aprovação da Lei Federal 13.987/2020, que autorizou a distribuição de gênero alimentício adquiridos para as escolas com recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE (programa federal), a Prefeitura respeitou o repasse dos recursos da merenda escolar advindos do Governo Federal. Cumpre explicar que o repasse da União aos estados e municípios para um aluno de ensino fundamental regular é no valor de R$ 0,36 (trinta e seis centavos) por dia. Assim, o valor total creditado pelo Governo para a merenda do aluno do ensino fundamental, durante um mês, é de R$7,20 por aluno. Os valores seguem conforme a modalidade de ensino sendo R$ 0,32 (trinta e dois centavos) para Educação de Jovens e Adultos (EJA) com um total de R$6,40 por aluno durante um mês, R$ 0,53 (cinquenta e três centavos) para pré-escola totalizando R$ 10,60 por aluno, também durante um mês, e assim por diante. Além disto, o aluno matriculado na creche municipal vai receber um kit da Agricultura Familiar, uma vez que há a determinação de aquisição de gêneros alimentícios – pelo menos 30% – diretamente da agricultura familiar (Lei nº. 11.947 de 16 de junho de 2009). Sabe-se que a oferta desses alimentos no ambiente escolar é de mais fácil execução, ainda assim o kit dos alimentos, que não corresponde a uma cesta básica, é elaborado pelas nutricionistas da Secretaria de Educação de modo a atender também ao critério de valor nutricional. Cumpre informar que houve, por parte da equipe escolar, uma conferência dos gêneros verificando todas as datas de validade dos itens, a integridade das embalagens, se as quantidades estavam de acordo com o número de alunos, bem como se efetuou a troca de todos os alimentos que estavam impróprios para consumo. Além do mais, para garantir uma das diretrizes do PNAE – a universalidade, onde os recursos devem ser utilizados para atender todos os estudantes matriculados na educação básica, ofertaram-se produtos não fracionados, ou seja, em embalagens fechadas, e seguro do ponto de vista higiênico-sanitário obedecendo ao protocolo de saúde pública na pandemia, de modo que a aquisição dos gêneros alimentícios para a montagem dos kits não excedesse o orçamento previsto mensalmente para a alimentação escolar do município. Dos itens que compõem o kit, adquirido de acordo com os recursos do PNAE e o valor nutricional do cardápio alimentar, ainda será entregue, nos próximos dias, a carne congelada que não está na distribuição esta semana porque a empresa licitada não cumpriu com os prazos que deveria. A mesma foi imediatamente notificada pela Semed e irá, após fornecer o item, responder administrativamente pelo atraso. A Prefeitura de Timon, bem como a Semed, seguem continuamente buscando meios de prover a merenda escolar dos alunos matriculados na rede municipal de educação do município, pois entende a importância desse alimento na casa dos alunos. A distribuição dos kits de alimentos vai beneficiar cerca de 30 mil alunos este mês.