Oposição: Quem assumirá o protagonismo com resultado das urnas e visão voltada para 2024?

spot_img
Compartilhe:

Não é uma questão de divisão, mas a oposição apresenta opções de nomes para quem não quer mais votar no que está aí.

As especulações em torno dos nomes de futuros ou pretensos candidatos ao pleito de 2024, onde estará em jogo a cadeira de prefeito de Timon, talvez sejam normais diante dos resultados eleitorais onde o que predomina é a gangorra eleitoral de quem sobe ou de quem desce de acordo com os números e a densidade eleitoral, mas que nem sempre pode ditar o primeiro critério para a disputa.

Que Timon poderá, de acordo com a ascensão e queda dos futuros concorrentes a cadeira máxima do executivo municipal, uma disputa com mais de três nomes fortes de acordo com o atual cenário político, isso é até indiscutível.

Não precisa nenhuma análise profunda para se detectar que rumos, a partir de então, cada postulante deverá tomar. Basta observar os movimentos de cada um na mídia especializada e como chamam em Timon, as conversas do “cientistas políticos” da cidade.

É fato, por exemplo, que o Deputado Rafael Leitoa tem posição de destaque e como protagonista do processo eleitoral, pelo resultado e pelo número e as condições que são determinantes na alça de voo politico do deputado, que enfrentou uma eleição difícil, com vitória inimaginável por seus adversários, inclusive pelos Leitoas, que fizeram de tudo para atrapalhar sua  campanha exitosa.

Rafael não só se consolidou como liderança politica, mas também estabeleceu que o processo de escolha do futuro prefeito de Timon terá que passar por seu viés politico e por suas mãos diante do quadro de vantagens que no momento oferece como aliado de primeira do governador Brandão, um mandato eletivo e a força demonstrada por seu grupo.

Outro nome de destaque e com votação expressiva na base de Timon e que se aproximou da disputa pela cadeira de prefeito é suplente de deputado federal Henrique Junior, que a cada eleição vem colhendo frutos de suas disputas e com ousadia mostra para o eleitor, principalmente, que merece a chance de disputar como protagonista.

Henrique Junior tem a seu favor, além da boa e expressiva votação, a consolidação de um grupo, de um partido que sentará na mesa de negociação politica nos pleitos municipais. O PL, partido de Hjr elegeu quatro deputados federais, amealhou novas lideranças e marca passo importante para se consolidar através do deputado federal Josimar do Maranhãozinho como um dos partidos mais viáveis para as disputas municipais em 2024 e Henrique Junior está no bojo desse processo de conquistas do partido alçadas ao processo eleitoral para prefeito de Timon.

A eleição do Leandro Bello como deputado também outro fator importante que é tratado antecipadamente no processo, inclusive com o lançamento do nome do vereador Kaka do Frigosá para a disputa de 2024, mas todos sabem que tudo isso trata-se de um balão de ensaio, pois o deputado entende que o passo adiante e determinante é sua consolidação em Timon e fortalecimento de seu grupo com tudo o que pode acontecer daqui para frente, inclusive com as questões dos cargos que estarão à seu dispor a partir de 2023.

Até aqui citamos nomes que se apresentam como protagonistas, mas que todos sabem irão precisar das forças coadjuvantes, que mesmo com resultados negativos e perdas dos mandatos ou das disputas mostraram que não estão mortos na disputa, mas que também entendem as possibilidades de uma nova conjuntura politica a partir de então.

A deputada Socorro Waquim, que não conseguiu se reeleger deputada, se apresenta como o primeiro nome dentro dessa nova estrutura politica a ser criada. A deputada terá um grande peso eleitoral na disputa de 2024 por conta da cristalização de seus votos em Timon e isso será estendido a partir de 2023 quando o governo de Carlos Brandão começa a funcionar com uma nova equipe ou parte da atual equipe de governo alterada e a possibilidade de atual deputada vir a compor a equipe do governo estadual.

O Coronel Schnneyder é outro dos protagonistas apontados na eleição deste ano que aparece como coadjuvante no processo eleitoral com vistas a 2024 capaz de estabelecer-se dentro dessa nova estrutura e conjuntura politica, pois apesar de não ter sido eleito e obter uma votação muito abaixo do esperado, na disputa eleitoral local tem seu quinhão preservado e que não pode ser desprezado e é nominado como liderança que precisa participar da disputa.

Os demais nomes que estiveram na disputa, que não obtiveram êxito e nem estabeleceram-se como lideranças devem cair em si da necessidade de tomarem decisões mais proativas e se entregarem mais aos seus projetos políticos de eleger seus representantes na Câmara, filtrando para isso a necessidade de participar do pleito como voz ativa, mas que terão que trabalhar um pouco mais como políticos e lideres.

É isso!

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Conheça o cronograma de obras de esgoto da Águas de Timon para está semana

A Águas de Timon avança em mais uma etapa das obras de esgotamento sanitário no município. Entre os dias 28 de novembro a 03...

Vereador PA acompanha início de obras de sua autoria nos bairros de Timon

O vereador Pedro Augusto PA, de Timon, um dos parlamentares mais atuantes da nova geração política da cidade, "meteu", literalmente "mão na massa". Assim que...

Equatorial Maranhão informa sobre horários de funcionamento durante jogos do Brasil

Postos E + Reciclagem e agências de atendimento terão horários diferenciados durante as partidas da seleção brasileira Com o início da Copa do Mundo no...

Não é uma questão de divisão, mas a oposição apresenta opções de nomes para quem não quer mais votar no que está aí.

As especulações em torno dos nomes de futuros ou pretensos candidatos ao pleito de 2024, onde estará em jogo a cadeira de prefeito de Timon, talvez sejam normais diante dos resultados eleitorais onde o que predomina é a gangorra eleitoral de quem sobe ou de quem desce de acordo com os números e a densidade eleitoral, mas que nem sempre pode ditar o primeiro critério para a disputa. Que Timon poderá, de acordo com a ascensão e queda dos futuros concorrentes a cadeira máxima do executivo municipal, uma disputa com mais de três nomes fortes de acordo com o atual cenário político, isso é até indiscutível. Não precisa nenhuma análise profunda para se detectar que rumos, a partir de então, cada postulante deverá tomar. Basta observar os movimentos de cada um na mídia especializada e como chamam em Timon, as conversas do "cientistas políticos" da cidade. É fato, por exemplo, que o Deputado Rafael Leitoa tem posição de destaque e como protagonista do processo eleitoral, pelo resultado e pelo número e as condições que são determinantes na alça de voo politico do deputado, que enfrentou uma eleição difícil, com vitória inimaginável por seus adversários, inclusive pelos Leitoas, que fizeram de tudo para atrapalhar sua  campanha exitosa. Rafael não só se consolidou como liderança politica, mas também estabeleceu que o processo de escolha do futuro prefeito de Timon terá que passar por seu viés politico e por suas mãos diante do quadro de vantagens que no momento oferece como aliado de primeira do governador Brandão, um mandato eletivo e a força demonstrada por seu grupo. Outro nome de destaque e com votação expressiva na base de Timon e que se aproximou da disputa pela cadeira de prefeito é suplente de deputado federal Henrique Junior, que a cada eleição vem colhendo frutos de suas disputas e com ousadia mostra para o eleitor, principalmente, que merece a chance de disputar como protagonista. Henrique Junior tem a seu favor, além da boa e expressiva votação, a consolidação de um grupo, de um partido que sentará na mesa de negociação politica nos pleitos municipais. O PL, partido de Hjr elegeu quatro deputados federais, amealhou novas lideranças e marca passo importante para se consolidar através do deputado federal Josimar do Maranhãozinho como um dos partidos mais viáveis para as disputas municipais em 2024 e Henrique Junior está no bojo desse processo de conquistas do partido alçadas ao processo eleitoral para prefeito de Timon. A eleição do Leandro Bello como deputado também outro fator importante que é tratado antecipadamente no processo, inclusive com o lançamento do nome do vereador Kaka do Frigosá para a disputa de 2024, mas todos sabem que tudo isso trata-se de um balão de ensaio, pois o deputado entende que o passo adiante e determinante é sua consolidação em Timon e fortalecimento de seu grupo com tudo o que pode acontecer daqui para frente, inclusive com as questões dos cargos que estarão à seu dispor a partir de 2023. Até aqui citamos nomes que se apresentam como protagonistas, mas que todos sabem irão precisar das forças coadjuvantes, que mesmo com resultados negativos e perdas dos mandatos ou das disputas mostraram que não estão mortos na disputa, mas que também entendem as possibilidades de uma nova conjuntura politica a partir de então. A deputada Socorro Waquim, que não conseguiu se reeleger deputada, se apresenta como o primeiro nome dentro dessa nova estrutura politica a ser criada. A deputada terá um grande peso eleitoral na disputa de 2024 por conta da cristalização de seus votos em Timon e isso será estendido a partir de 2023 quando o governo de Carlos Brandão começa a funcionar com uma nova equipe ou parte da atual equipe de governo alterada e a possibilidade de atual deputada vir a compor a equipe do governo estadual. O Coronel Schnneyder é outro dos protagonistas apontados na eleição deste ano que aparece como coadjuvante no processo eleitoral com vistas a 2024 capaz de estabelecer-se dentro dessa nova estrutura e conjuntura politica, pois apesar de não ter sido eleito e obter uma votação muito abaixo do esperado, na disputa eleitoral local tem seu quinhão preservado e que não pode ser desprezado e é nominado como liderança que precisa participar da disputa. Os demais nomes que estiveram na disputa, que não obtiveram êxito e nem estabeleceram-se como lideranças devem cair em si da necessidade de tomarem decisões mais proativas e se entregarem mais aos seus projetos políticos de eleger seus representantes na Câmara, filtrando para isso a necessidade de participar do pleito como voz ativa, mas que terão que trabalhar um pouco mais como políticos e lideres. É isso!