Venezuela aumenta preço da gasolina

spot_img
Compartilhe:
Gasolina brasileira uma das mais caras do mundo
Gasolina brasileira uma das mais caras do mundo

Em pronunciamento anual à Assembleia Legislativa, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que vai aumentar o preço da gasolina em 2015, após 18 anos sem reajuste do produto no país, o mais barato do mundo.

Segundo o mandatário, “chegou o momento” de tomar a decisão, em vista da atual conjuntura econômica da Venezuela e do cenário internacional de queda histórica do valor da commodity. Após quase cinco anos de estabilidade, o preço do petróleo caiu mais de 50%, quando foi de US$ 115 por barril a menos de US$ 60, em pouco mais de seis meses.

Como o petróleo é responsável por 95% das suas exportações, a Venezuela depende exclusivamente do “ouro negro” para garantir uma balança comercial favorável. Ontem, o chefe de Estado venezuelano também admitiu que o custeio da gasolina consome cerca de US$ 12,5 bilhões por ano em subsídios. “É claro que a receita faz falta…, o que eu estou dizendo é que não há desespero”, disse Maduro, de acordo com a Reuters. “Será feito este ano, sem pressa, mas será feito”, completou, na noite desta quarta-feira (21/01).

No início de 2015, Caracas entrou oficialmente em recessão e apresenta uma hiperinflação de preços de mercadorias essenciais. Em vista desse panorama, Maduro também anunciou que vai reorganizar o sistema de taxas de câmbio, na tentativa de fortalecer as receitas do país.

 

Edição: Veja Timon

Via: EFE

Compartilhe:
Veja Timon
Veja Timonhttps://vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Morador de Timon é um dos ganhadores da Promoção Energia em Dia

Clientes ainda podem se cadastrar e concorrer aos próximos sorteios A promoção Energia em Dia está premiando os clientes que estão em dia com suas...

Paulo Marinho Júnior visita a cidade de Duque Bacelar

O candidato a Deputado Federal, Paulo Marinho Júnior (PL), visitou nesta quarta-feira (10), a cidade de Duque Bacelar. A agenda foi a convite do...

Mais uma ação pede a impugnação de Chico Leitoa como candidato a deputado estadual

Depois de ação do Ministério Público Eleitoral, agora é o vereador Kaká do Frugosá que move ação para barrar candidatura de Chico Leitoa. Mais uma...
Gasolina brasileira uma das mais caras do mundo
Gasolina brasileira uma das mais caras do mundo
Em pronunciamento anual à Assembleia Legislativa, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que vai aumentar o preço da gasolina em 2015, após 18 anos sem reajuste do produto no país, o mais barato do mundo. Segundo o mandatário, "chegou o momento" de tomar a decisão, em vista da atual conjuntura econômica da Venezuela e do cenário internacional de queda histórica do valor da commodity. Após quase cinco anos de estabilidade, o preço do petróleo caiu mais de 50%, quando foi de US$ 115 por barril a menos de US$ 60, em pouco mais de seis meses. Como o petróleo é responsável por 95% das suas exportações, a Venezuela depende exclusivamente do “ouro negro” para garantir uma balança comercial favorável. Ontem, o chefe de Estado venezuelano também admitiu que o custeio da gasolina consome cerca de US$ 12,5 bilhões por ano em subsídios. "É claro que a receita faz falta..., o que eu estou dizendo é que não há desespero", disse Maduro, de acordo com a Reuters. "Será feito este ano, sem pressa, mas será feito”, completou, na noite desta quarta-feira (21/01). No início de 2015, Caracas entrou oficialmente em recessão e apresenta uma hiperinflação de preços de mercadorias essenciais. Em vista desse panorama, Maduro também anunciou que vai reorganizar o sistema de taxas de câmbio, na tentativa de fortalecer as receitas do país.   Edição: Veja Timon Via: EFE