spot_img
spot_img

Estresse no fim do ano: desvendando os motivos e estratégias de enfrentamento

spot_img
Compartilhe:
É comum que, nesse período, as pessoas sejam sobrecarregadas devido às demandas finais do ano

Por Elainy Castro

O mês de dezembro, marcado por festas, eventos e reflexões sobre o ano que se encerra, também traz um aumento significativo no nível de estresse da população brasileira, conforme apontam dados da Internacional Stress Management Association Brasil (ISMA-BR). O índice médio de estresse cresce em torno de 75%, levantando questões sobre como esse aspecto se manifesta na clínica psicológica e como lidar com suas causas.

Segundo a docente do curso de Psicologia da Estácio, Adriana Viscardi, é comum que, nesse período, as pessoas sejam sobrecarregadas devido às demandas finais do ano, sejam elas festivas ou profissionais. “Normalmente, o cotidiano atropela a gente. Estamos atarefados com muitas festas, exigindo que sejam entregues, e acabamos adiando esse desconforto, fugindo dele. Isso é algo bastante comum”, afirma Viscardi.

Adriana Viscardi

A especialista destaca a importância de identificar as fontes de ansiedade e estresse, incentivando a prática de listar e compreender o impacto de cada uma dessas questões na saúde mental. “Se são as contas, por exemplo, principalmente para os pais, com rematrícula escolar, lista de material, festas e férias, é necessário antecipar essas questões e fazer um planejamento para diminuir a ansiedade”, sugere.

Adriana Viscardi também ressalta que o período de fim de ano concentra diversas situações que são importantes para o aumento do estresse. “Além das festas, há encontros familiares, saudades de entes queridos que não serão encontrados, questões financeiras, expectativas de presentes, reflexões sobre o ano que passou e o desenvolvimento de uma nova fase contribui para esse aumento de estresse”, explica.

Diante desse cenário, a professora do curso de Psicologia sugere estratégias para lidar com o excesso de emoções que surgem nesse período desafiador. “É importante fazer um planejamento, colocar no papel as questões que geram ansiedade e buscar formas de diminuir esse desconforto aos poucos, lidando com cada uma delas de maneira gradual”, orienta Viscardi.

Compreender as fontes de estresse, antecipar desafios e adotar estratégias para gerenciar as emoções são passos essenciais para garantir um final de ano mais equilibrado e saudável. A clínica psicológica, sob a orientação de profissionais capacitados, pode ser um apoio importante nesse processo, auxiliando os indivíduos a enfrentar os desafios emocionais que surgem nesta época do ano.

Compartilhe:
spot_img

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

spot_img

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Equatorial Maranhão alerta sobre cuidados com cabos partidos, estejam pendurados ou ao solo

Acidentes com quebras de postes e chuvas intensas com rajadas de vento podem causar o rompimento de cabos de energia A Equatorial Maranhão tem como...

Muito além da estética, circunferência abdominal pode ser um sinal de alerta à saúde

Excesso de gordura abdominal traz riscos de doenças crônicas, que aumentam em casos de mulheres com cintura acima de 88cm, segundo a OMS Por Juliana...

Do grão à xícara: Cafeteria é novidade em loja do Renascença

Por Juliana Castelo Hora do cafezinho! A bebida mais popular no dia a dia do brasileiro tem até mês para comemorar. O calendário tem...