A tragédia em condomínio cercada de fatalidade, imprudência e que poderia ter sido evitada

spot_img
Compartilhe:

Ainda com informações desencontradas, mesmo assim dá para se dimensionar que a tragédia que vitimou uma criança e deixou outras feridas, que brincavam no playground do condomínio de luxo Vilage Joia, na BR-226, em Timon deve servir de exemplo, infelizmente, para todos os que não cumprem as leis e normas de trânsito, como  dirigir de forma adequada e evitar situações que deixem em perigo de acidente e de morte as pessoas.

Em outro ponto, também que se relaciona à segurança das pessoas, e no caso do condomínio, a área de lazer com parte dela vulnerável a qualquer tipo de acidente ou fatalidade deveria ser mais protegida do que é. No caso de crianças, no local, além da cerca de proteção deveria haver uma espécie de contenção para evitar que crianças indefesas fossem atingidas pelos veículos que estacionam no seu entorno do playground como mostra a imagem.

Não estamos aqui elaborando palavras para determinar que são os culpados, mas tudo o que aconteceu no playgruond do condomínio de luxo poderia ter sido evitado, se houvesse prevenção e uma certa precaução dos envolvidos, tanto do motorista atropelador como por parte dos construtores da área de lazer para as crianças.

É claro que, numa fatalidade como essa, só conseguimos dimensionar as questões do perigos que causamos quando decidimos nos comportar de forma inadequado quando mortes ou acidentes ocorrem, mas infelizmente, fica a lição e oremos a Deus para que todos os envolvidos consigam entender a dor insuperável das perdas que podemos causar por conta da nossa imprudência.

É isso!

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

No mesmo dia: Reeleitos, Lira e Pacheco rompem com Bolsonaro, mas deixam recado ao STF

Colunista do jornal "O Globo" avalia que o pior cenário para o Supremo seria a vitória de Rogério Marinho. Mas reeleição de Lira e...

Suspensa eficácia de norma que exigia quórum qualificado para aprovação de leis em Timon

Por unanimidade, o Órgão Especial do TJMA deferiu, em parte, medida cautelar em Adin, determinando quórum de maioria de votos para aprovação de matéria...

Deputados Estaduais tomam posse para 20ª legislatura da Assembleia Legislativa do Maranhão

Os deputados eleitos para a 20ª legislatura da Assembleia Legislativa do Maranhão foram empossados na manhã desta quarta-feira (1º), no Plenário Nagib Haickel. O...
Ainda com informações desencontradas, mesmo assim dá para se dimensionar que a tragédia que vitimou uma criança e deixou outras feridas, que brincavam no playground do condomínio de luxo Vilage Joia, na BR-226, em Timon deve servir de exemplo, infelizmente, para todos os que não cumprem as leis e normas de trânsito, como  dirigir de forma adequada e evitar situações que deixem em perigo de acidente e de morte as pessoas. Em outro ponto, também que se relaciona à segurança das pessoas, e no caso do condomínio, a área de lazer com parte dela vulnerável a qualquer tipo de acidente ou fatalidade deveria ser mais protegida do que é. No caso de crianças, no local, além da cerca de proteção deveria haver uma espécie de contenção para evitar que crianças indefesas fossem atingidas pelos veículos que estacionam no seu entorno do playground como mostra a imagem. Não estamos aqui elaborando palavras para determinar que são os culpados, mas tudo o que aconteceu no playgruond do condomínio de luxo poderia ter sido evitado, se houvesse prevenção e uma certa precaução dos envolvidos, tanto do motorista atropelador como por parte dos construtores da área de lazer para as crianças. É claro que, numa fatalidade como essa, só conseguimos dimensionar as questões do perigos que causamos quando decidimos nos comportar de forma inadequado quando mortes ou acidentes ocorrem, mas infelizmente, fica a lição e oremos a Deus para que todos os envolvidos consigam entender a dor insuperável das perdas que podemos causar por conta da nossa imprudência. É isso!