Urgência: Atual gestão da UPA de Timon quer mais segurança para pacientes e servidores durante atendimentos

spot_img
Compartilhe:

Com poucos dias de gestão e imbuídos de buscar um atendimento de resultados para a UPA de Timon, a nova direção daquela casa de saúde adotou como providências solicitar do atual comando do 11º Batalhão da Policia Militar, com sede em Timon, um policiamento de plantão no local, pois isso vem sendo cobrado há anos por servidores que trabalham e pelos pacientes e acompanhantes que buscam atendimento.

Servidores relataram ao blog que quando uma pessoa chega com outra que necessita de urgência, seja qual for a gravidade do atendimento, entende que seu caso é mais importante do que os que já estão sendo tratados na UPA e, querem, por aflição do momento, serem atendidos logo com a presença de um médico ou enfermeira, que estão prestando atendimento, daí, por via de regra, sempre acontece alguma confusão, ou algum tipo de agressão com os profissionais, que estão prontos para atender, mas nunca para serem agredidos seja qual for a forma de agressão. Esses servidores afirmam que a presença de policiais vai de certa forma inibir as ações do mais exaltadas e garantir que todo o trâmite do atendimento flua normalmente obedecendo as necessidades de urgência, e evitar esse tipo de aborrecimento para pacientes, acompanhantes e os profissionais da UPA continuem.

Em outro aspecto, o de dar segurança às pessoas, o policiamento deverá inibir também ações corriqueiras dos malfeitores que rondam o entorno da UPA em busca de vítimas para fazer suas abordagens e assaltos no momento maior de descuido, de fragilidade e de vulnerabilidade devido à situação de angústia com a qual estão vivendo, essa seria uma outra forma de atuar em que a segurança policial ajudaria muito e evitaria inclusive casos de que as pessoas precisassem de atendimento imediato.

Segundo informações colhidas junto à direção, para o policiamento, foi oficiado ao comando essas necessidades ao Comando do 11º BPM que deverá se pronunciar sobre essa necessidade iminente para a UPA de Timon.

Com a palavra o comando.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Ingrediente naturais são saudáveis para os cuidados com a pele   

Segundo especialista, para melhores resultados, o uso de produtos naturais na pele e nos cabelos deve ser conciliado à dieta   Os cuidados com a saúde...

Aulas na Rede Estadual iniciam nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão

Nesta segunda-feira (6), estudantes da Rede Estadual nas 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão retornaram às salas de aula. Para fortalecer as estratégias...

Projeto de Lei do deputado Rafael assegura acesso a medicamentos à base de canabidiol e similares

O Projeto de Lei 01/2023, de autoria do deputado Rafael, assegura o acesso a medicamentos à base de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) “às...
Com poucos dias de gestão e imbuídos de buscar um atendimento de resultados para a UPA de Timon, a nova direção daquela casa de saúde adotou como providências solicitar do atual comando do 11º Batalhão da Policia Militar, com sede em Timon, um policiamento de plantão no local, pois isso vem sendo cobrado há anos por servidores que trabalham e pelos pacientes e acompanhantes que buscam atendimento. Servidores relataram ao blog que quando uma pessoa chega com outra que necessita de urgência, seja qual for a gravidade do atendimento, entende que seu caso é mais importante do que os que já estão sendo tratados na UPA e, querem, por aflição do momento, serem atendidos logo com a presença de um médico ou enfermeira, que estão prestando atendimento, daí, por via de regra, sempre acontece alguma confusão, ou algum tipo de agressão com os profissionais, que estão prontos para atender, mas nunca para serem agredidos seja qual for a forma de agressão. Esses servidores afirmam que a presença de policiais vai de certa forma inibir as ações do mais exaltadas e garantir que todo o trâmite do atendimento flua normalmente obedecendo as necessidades de urgência, e evitar esse tipo de aborrecimento para pacientes, acompanhantes e os profissionais da UPA continuem. Em outro aspecto, o de dar segurança às pessoas, o policiamento deverá inibir também ações corriqueiras dos malfeitores que rondam o entorno da UPA em busca de vítimas para fazer suas abordagens e assaltos no momento maior de descuido, de fragilidade e de vulnerabilidade devido à situação de angústia com a qual estão vivendo, essa seria uma outra forma de atuar em que a segurança policial ajudaria muito e evitaria inclusive casos de que as pessoas precisassem de atendimento imediato. Segundo informações colhidas junto à direção, para o policiamento, foi oficiado ao comando essas necessidades ao Comando do 11º BPM que deverá se pronunciar sobre essa necessidade iminente para a UPA de Timon. Com a palavra o comando.