Morre vítima de Covid-19 o jornalista e poeta Raimundo Cazé

spot_img
Compartilhe:

Cidade verde.com

O jornalista  e radialista Raimundo Rosa de Sá, mais conhecido como Raimundo Cazé, morreu na noite desta segunda-feira (26) aos 77 anos após complicações ocasionadas pela covid-19. Ele estava internado na UTI do Hospital Universitário e chegou a ser intubado, mas não resistiu a uma parada cardíaca.

De acordo com familiares, o jornalista chegou a tomar as duas doses da vacina covid-19, mas testou positivo para a doença há cerca de 10 dias, quando precisou ser hospitalizado.

Raimundo Cazé atuava há mais de 30 anos na assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa. O jornalista, que iniciou sua carreira na década de 60, também passou por diversos veículos de comunicação do Piauí, como Jornal da Manhã, Correio do Piauí e as rádios Pioneira e Difusora.

Além do jornalista, Cazé também era poeta e sanfoneiro.

Nas redes sociais, familiares e colegas de trabalho lamentaram a morte do jornalista.  A Assembleia Legislativa emitiu uma nota de pesar:

NOTA DE PESAR

É com profundo pesar que a Assembleia Legislativa do Estado do Piauí informa e lamenta o falecimento do jornalista, radialista e escritor Raimundo Rosa de Sá, o Raimundo Cazé.

Com mais de 30 anos de atuação na assessoria de imprensa desta Casa, Raimundo Casé também foi chefe da Coordenadoria de Relações Públicas e Assessoria de Imprensa, apresentou os programas “Passado em Evidência” e “Sanfonado” na Rádio Assembleia e fez inúmeras participações nos programas da TV Assembleia.

O jornalista, que iniciou sua carreira na década de 60, também passou por diversos veículos de comunicação do Piauí, como Jornal da Manhã, Correio do Piauí e as rádios Pioneira e Difusora, além de contribuir em colunas nacionais como a do jornalista Augusto Nunes na Veja.

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Propaganda

spot_img

Propaganda

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Lula diz que Gleisi não será ministra e que só anuncia equipe após ser diplomado pelo TSE

Presidente eleito deu declarações onde atua equipe de transição; diplomação no TSE está marcada para 12 de dezembro. Lula disse que '80%' do ministério...

Promotor recomenda suspensão do show de João Gomes em Timon

Além do alto custo com contrato do cantor para os cofres do município, o promotor Sérgio Martins diz que a festa põe em risco...

Após 23 anos, médica Amariles Borba pede exoneração da FMS

A médica Amariles de Sousa Borba pediu exoneração da Fundação Municipal de Saúde (FMS), onde atuava há 23 anos e, atualmente, ocupava o cargo...
Cidade verde.com O jornalista  e radialista Raimundo Rosa de Sá, mais conhecido como Raimundo Cazé, morreu na noite desta segunda-feira (26) aos 77 anos após complicações ocasionadas pela covid-19. Ele estava internado na UTI do Hospital Universitário e chegou a ser intubado, mas não resistiu a uma parada cardíaca. De acordo com familiares, o jornalista chegou a tomar as duas doses da vacina covid-19, mas testou positivo para a doença há cerca de 10 dias, quando precisou ser hospitalizado. Raimundo Cazé atuava há mais de 30 anos na assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa. O jornalista, que iniciou sua carreira na década de 60, também passou por diversos veículos de comunicação do Piauí, como Jornal da Manhã, Correio do Piauí e as rádios Pioneira e Difusora. Além do jornalista, Cazé também era poeta e sanfoneiro. Nas redes sociais, familiares e colegas de trabalho lamentaram a morte do jornalista.  A Assembleia Legislativa emitiu uma nota de pesar:
NOTA DE PESAR É com profundo pesar que a Assembleia Legislativa do Estado do Piauí informa e lamenta o falecimento do jornalista, radialista e escritor Raimundo Rosa de Sá, o Raimundo Cazé. Com mais de 30 anos de atuação na assessoria de imprensa desta Casa, Raimundo Casé também foi chefe da Coordenadoria de Relações Públicas e Assessoria de Imprensa, apresentou os programas “Passado em Evidência” e “Sanfonado” na Rádio Assembleia e fez inúmeras participações nos programas da TV Assembleia. O jornalista, que iniciou sua carreira na década de 60, também passou por diversos veículos de comunicação do Piauí, como Jornal da Manhã, Correio do Piauí e as rádios Pioneira e Difusora, além de contribuir em colunas nacionais como a do jornalista Augusto Nunes na Veja.